Jadel Gregório quer saltar longe em Atenas

A evolução de Jadel Gregório desde quechegou ao Projeto Futuro, em São Paulo, há seis anos, mais os 16pódios nas 20 provas que competiu, com incrível regularidade ?saltou dez vezes acima dos 17 metros ? em 2003, colocam otriplista entre os candidatos à medalha na Olimpíada de Atenas,em agosto. Jadel, de 23 anos, 2,02 metros e 103 quilos, évice-líder no ranking mundial de pontos da AssociaçãoInternacional de Federações de Atletismo (Iaaf). "Sei que ele vai saltar longe, mas não me peça números porqueisso vai delimitar o Jadel", afirma o técnico Nélio Moura, quenão faz previsões de quão longe o triplista saltará, masacredita que o brasileiro não pode ficar fora da relação dosfavoritos em Atenas. "Meu objetivo é ir ao pódio no máximo decompetições entre as que eu disputar, incluindo as provas daGolden League", observa Jadel. Esse ano, o salto triplo integrao programa oficial do circuito da Liga de Ouro, que tem osmelhores prêmios nos meetings mais nobres da temporada, de junhoa setembro. Mas não foi o triplo, que deu ao Brasil seis medalhasolímpicas, incluindo o único bicampeonato (1952/56), com AdhemarFerreira da Silva, que levou Jadel a optar pela prova. NemNélson Prudêncio, que ganhou prata em 1968 e bronze em 1972, enem João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, que ganhou doisbronzes, em 1976 e 1980 e ainda é o recordista brasileiro esul-americano (17,89 m). A não ser por algumas fitas de vídeoque tem em casa e o contato com Nélson Prudêncio, Jadel não seinspirou nos triplistas. Admira nomes nem tão famosos, mas comos quais conviveu, como Anísio de Souza e Sérgio Muniz. Na verdade, queria saltar em altura, inspirado em WagnerPríncipe, o Salsicha, que era recordista sul-americano juvenilda prova e ganhou quatro vezes o Troféu Brasil. Jadel nasceu emJandaia do Sul, Paraná, mas foi criado em Marília, São Paulo.Fez teste e foi engajado no Projeto Futuro, em São Paulo, em1998. "Veio para treinar com o Salsicha e decidido a fazersalto em altura. Fez um pouco de tudo, altura, barreira,distância, triplo. Evoluiu na altura ? chegou saltando 1,90 m ecomo juvenil ainda chegou aos 2,10 m. Só que no triplo melhoroumuito mais, de 13,99 m para 16,18 m em um ano. Eu pensava 2,02metros de estatura é bom para o salto em altura, mas 100 quilosnão é nada bom..." Jadel admite que "era apaixonado pela altura" e se convenceuque sua prova era o triplo após o salto de 16,18 m, noPan-Americano Juvenil, em 1999. "Mudei automaticamente. Fiqueiforte, pesado e era mais fácil agarrar algo em que realmentetinha chance do que viver de sonho." Ainda hoje confessa que, quando pode, durante as provas quecompete, "dá uma espiada no salto em altura". Terminou 1998 saltando 14,65 m e aí apresentou as marcas de 1618 m (1999), 16,48 m (2000), 17,13 m (2001), 17,11 m (2002 e2003), sempre em provas ao ar livre. Em 2002 ainda saltou 17,35m indoor (recorde sul-americano em pista coberta). Esse ano, suamelhor marca foi 17,46 m, no meeting indoor de Karlsruhe (ALE),em fevereiro. Em março ganhou a medalha de prata, no MundialIndoor de Budapeste, com 17,43 m. "Nos dois últimos anos, aevolução de Jadel foi bem grande. "Saiu do sexto lugar (emBirmingham/2003), para o vice-campeonato do mundo indoor (emBudapeste/2004). Quanto mais alto o nível, mais difícilcontinuar evoluindo. Ele ainda pode crescer, eu sei, mas é aregularidade, dentro da temporada, que mais me agrada.", afirmao técnico. O triplista acredita que evoluiu dentro e fora das pistas."Aprendi a treinar, sei analisar meus saltos e treinos, soumais tranquilo ? era muito revoltado ? e aprendi a me relacionar? era muito fechado." O rap dançante e os livros ajudam apassar o tempo na temporada européia. O recordista e campeão mundial Christian Olsson, da Suécia, éconsiderado hoje o favorito ao ouro em Atenas. "Todos sabem dotalento do Olsson, mas Jadel não está assutado com ele",garante Nélio. Além de Olsson, líder do ranking, YoandriBetanzos, David Giralt e Alexander Martinez, de Cuba, LeevanSands, da Bahamas, Marian Oprea, da Romênia, Kenta Bell, dos EUA Dimitry Valykevich, da Bielo Rússia estão entre os rivais naOlimpíada e no circuito da Golden League em Oslo (11 de junho),Roma (2 de julho), Paris (23 de julho), Zurique (6 de agosto),Bruxelas (3 de setembro) e Berlim (12 de setembro). "Jadel temperseverança, boa vontade e tem conseguido cumprir tudo o que énecessário para cumprir objetivos que são muito altos, comoestar sempre os oito melhores do mundo", ressalta Nélio.

Agencia Estado,

25 de abril de 2004 | 08h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.