Jadson comandou o São Paulo

Meia foi o destaque da vitória por 3 a 0 sobre o Linense que colocou o time na primeira colocação

FERNANDO FARO, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2013 | 02h05

Os holofotes estavam mais uma vez direcionados para Ganso, novamente titular e com a possibilidade de acordar seu talento há tanto tempo adormecido, mas foram Jadson e Osvaldo que brilharam. A dupla de baixinhos fez de tudo um pouco - inclusive os gols que garantiram a vitória por 3 a 0 sobre o Linense (Fábio Lima marcou contra) - e levou o São Paulo à liderança isolada da competição. O time agora torce por um tropeço da Ponte Preta contra o São Bernardo para se manter na ponta.

Jadson não foi apenas Jadson ontem. O grande nome do time em 2013 jogou também foi Ganso, chamando a responsabilidade de articular as jogadas e ditar o ritmo da equipe. Foi Luis Fabiano, quando teve noção de posicionamento da área e apareceu sozinho para abrir o marcador (fez seu sexto gol na temporada e divide a artilharia com o Fabuloso) aproveitando boa jogada de Douglas. Foi Wellington ao correr e marcar com dedicação. E foi ele mesmo ao distribuir lançamentos precisos. Sendo tantos em apenas um, transforma a disputa com Ganso em uma disparidade nesta altura do campeonato. Se houver apenas uma vaga para os dois, ela é dele - que saiu de campo aplaudido.

Não que o ex-santista tenha feito uma partida de todo ruim, mas é nítido que ele ainda não se encontrou no São Paulo. Por vezes encostou em Luis Fabiano e Osvaldo para buscar uma tabela e também recuou à procura do jogo, mas precisa de mais tempo para entender como se desenvolve o jogo são-paulino e também de mais disposição. Seu melhor momento foi uma enfiada de bola para Luis Fabiano. Ele pode e sabe fazer mais do que isso.

Sem pontaria. O último teste antes do importantíssimo jogo contra o The Strongest na quinta-feira mostrou que o 4-2-3-1 do ano passado ainda parece o esquema tático mais confiável. Não que os dois meias do primeiro tempo tenham sido ruins, mas foi com Aloísio que a equipe deslanchou e se mostrou mais consistente. Talvez se Luis Fabiano tivesse convertido ao menos uma de suas muitas oportunidades a sorte do confronto já estaria selada com bastante antecedência.

Mas se o artilheiro esteve longe da sua habitual forma, Osvaldo mostrou que vive um ótimo momento. Além de ter feito um gol, ele infernizou a defesa do até então invicto adversário com jogadas em velocidade pelas pontas. Na etapa final, ganhou a companhia do aguerrido Aloísio.

Além de ter alcançado a liderança do Paulista, o São Paulo chega com moral para enfrentar o The Strongest e reagir na Libertadores. Se Ney Franco tinha dúvidas sobre o time, o segundo tempo mostrou qual o caminho a seguir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.