Gustavo Garello/AP
Gustavo Garello/AP

Jadson se prepara para voltar a ser o 'cérebro' do Corinthians

Em entrevista coletiva, meia afirma que voltará a jogar centralizado diante do Cruzeiro

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2018 | 18h34

Após a saída de Rodriguinho para o futebol egípcio, o meia Jadson se prepara para voltar a ser o principal responsável pela armação das jogadas do Corinthians. Para a partida desta quarta-feira, na Arena Corinthians, diante do Cruzeiro, ele vai voltar a jogar na faixa central, posição que mais o agrada.

+ Corinthians vai faturar R$ 4,5 milhões com ida de Malcom para o Barcelona

“Gosto de jogar centralizado. Foi o Tite que me escalou pela direita. Mas tive uma conversa com o Loss e o Carille falando que gosto de jogar no meio. Fico feliz com essa oportunidade que o Loss vai me dar. Espero fazer um bom jogo”, afirmou o meia em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira.

O jogador revelou que está conversando com Gabriel e Douglas (novo contratado) para acertar o posicionamento. “Tenho conversado com o Gabriel e com o Douglas agora, é importante eles acharem esse passe entrelinhas para eu pegar a bola mais tranquila e conseguir armar o jogo. Tem Clayson, Romero e Jonathas, três opções para dar assistência, fazer tabela e chutar para o gol... Pretendo ajudar a equipe nessa nova posição que eu vou atuar”, afirmou.

Jadson também comentou a saída do parceiro, que se despediu da equipe nesta segunda-feira. "É uma grande perda. O Rodriguinho vinha ajudando a equipe. Eu vinha esperando uma oportunidade. Mas não é que eu sou soberano, tem muitos jogadores de qualidade. Eu entrei e tentei ajudar sempre que a equipre precisou. Tenho minha responsabilidade e vou tentar fazer isso para ganhar a confiança do Loss”, afirmou

Para o camisa 10, a troca de jogadores faz parte da realidade do Corinthians e não deve trazer desconfiança para a torcida. Além da saída de Rodriguinho, também deixaram o clube o zagueiro Balbuena, o lateral Sidcley e o volante Maycon. “A equipe do Corinthians é grande e sempre vai ter cobranças e especulações. A gente tem que continuar trabalhando mesmo com a desconfiança do pessoal. A gente tem que pensar em ir bem em todas, mas a Copa do Brasil e a Libertadores são campeonatos que a gente pode brigar para ser campeão”, disse o meia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.