Japão define equipe de judô para a Olimpíada e deixa algoz de Sarah Menezes fora

O Japão já definiu quase toda sua equipe de judô para os Jogos Olímpicos do Rio, faltando apenas a escolha dos atletas do peso pesado. Entre as novidades, a está a ausência de Haruna Asami, que coleciona seis vitórias e apenas uma derrota diante de Sarah Menezes. Ela foi campeã mundial em 2010 e 2011 e vice em 2013 e 2015.

Demétrio Vecchioli, Estadão Conteúdo

08 de abril de 2016 | 12h09

Para apontar os judocas que disputarão a Olimpíada, o Japão usou como base o seu campeonato nacional, realizado no fim de semana passado. Na categoria até 48kg, por exemplo, Asami sequer subiu ao pódio. A vaga ficou com Ami Kondo, que foi campeã mundial em 2014 e bronze no ano passado. Ela tem só 20 anos e já é a quinta do ranking mundial.

Principal potência do judô, o Japão vai conseguir uma vaga por categoria pelo ranking mundial e tem o direito de escolher que lutador vai enviar. Os campeões nacionais que não foram apontados diretamente como convocados para o Rio-2016 são aqueles que não ocupam o Top 20 do ranking mundial.

É o caso da categoria até 66kg, que o convocado é Masashi Ebinuma, campeão mundial em 2011, 2012 e 2014. No campeonato nacional, ele foi só terceiro colocado. Ebinuma foi o algoz de Charles Chibana na semifinal do Mundial de 2013, no Rio.

A equipe masculina terá: Naohisa Takato (60kg, campeão mundial em 2013), Shohei Ono (73kg, campeão em 2013 e 2015), Takanori Nagase (81kg, campeão em 2015), Mashu Baker (90kg, bronze em 2015) e Ryunosuke Haga (até 100kg, campeão em 2015).

No feminino, o time será composto por Misato Nakamura (52kg, campeã em 2015), Kaori Matsumoto (57kg, campeã em 2009, 2011 e 2015), Miku Tashiro (63kg, bronze em 2014 e 2015), Haruka Tachimoto (70kg, sem medalhas em mundiais) e Mami Umeki (até 78kg, campeã em 2015).

Nakamura venceu os últimos seis confrontos contra Érika Miranda, enquanto Matsumoto bateu Rafaela Silva em quatro dos seis combates entre elas. Umeki só lutou uma vez contra Mayra Aguiar e ganhou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.