Kazuhiro Nogi / AFP
Kazuhiro Nogi / AFP

Japão suspende atletas envolvidos em caso de prostituição nos Jogos Asiáticos

Quatro jogadores voltam ao Japão após serem fotografados com garotas de programa na Indonésia

Estadão Conteúdo

29 Agosto 2018 | 10h42

Quase 10 dias depois do escândalo envolvendo quatro jogadores da seleção de basquete masculino, que foram flagrados com uniformes do país em uma noite com garotas de programa durante os Jogos Asiáticos, em Jacarta, na Indonésia, a Associação Japonesa de Basquete (JBA, na sigla em inglês) anunciou uma suspensão de 1 ano para cada um dos atletas.

O anúncio foi feito por Yuko Mitsuya, presidente da federação, nesta quarta-feira. "Eles não tiveram o senso de responsabilidade que jogadores na delegação japonesa deveriam ter", disse. Os quatro jogadores - Yuya Nagayoshi, Takuya Hashimoto, Takuma Sato e Keita Imamura - foram expulsos da delegação do Japão e mandados de volta para o país no último dia 20.

O episódio com os jogadores da seleção de basquete japonesa se tornou público depois que um jornal da Indonésia publicou fotos dos jogadores durante o encontro com as garotas de programa. "Esse é um problema bobo e decepcionante, mas a verdade não pode ser mudada. Então, acho que nosso desafio é aprender a crescer a partir dele", completou Mitsuya.

Os outros oito atletas do time continuaram na disputa dos Jogos Asiáticos. Depois de uma derrota para Filipinas (113 a 80), o Japão disputará o sétimo lugar do torneio de basquete masculino contra a Indonésia.

A notícia da expulsão, e agora da suspensão, dos quatro jogadores da seleção de basquete, que tiveram de pagar as passagens de volta de seus próprios bolsos, significa mais uma grande vergonha para o Japão, que nos Jogos Asiáticos de 2014, em Incheon (Coreia do Sul), se viu obrigado a retirar da competição um nadador que roubou a câmera de um jornalista.

A Indonésia recebe quase 16.000 atletas de 45 países asiáticos em Jacarta e Palembang, a outra cidade com eventos dos Jogos Asiáticos.

 
Mais conteúdo sobre:
Jogos Asiáticos basquete prostituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.