Jifar confirma favoritismo e ganha SS

O etíope Tesfaye Jifar entrou hoje para a história da Corrida Internacional de São Silvestre. Ele venceu a prova pela primeira vez, depois de dominá-la de forma incontestável. A 77.ª edição da corrida teve uma vitória brasileira, de Maria Zeferina Baldaia, na disputa feminina. Aos 29 anos, Zeferina, ex-cortadora de cana em Sertãozinho, interior de São Paulo - treina nos canaviais da cidade - ganhou após superar com garra, aliada à sua excelente preparação, uma das favoritas, a queniana Margaret Okayo. Na competição masculina, dois brasileiros subiram ao pódio: Marílson dos Santos, quarto colocado, e Vanderlei Cordeiro de Lima, quinto. Jifar, um atleta de 26 anos e com apenas quatro anos como corredor profissional, esteve sempre entre os primeiros hoje e não perdeu a concentração nem mesmo com as constantes tentativas dos adversários de obstruir seu caminho - chegou a ser empurrado pelo queniano Evans Ruffo. Na parte decisiva da prova, a subida da Avenida Brigadeiro Luís Antônio, já havia aberto uma confortável vantagem para o segundo colocado, o queniano Guilbert Okari, e, na entrada da Avenida Paulista, começou a comemorar a vitória. Cego do olho direito por causa de uma chifrada que levou de um touro quando tinha 14 anos, o etíope venceu a São Silvestre com o tempo de 44min15s. Okari fez 44min32 e, logo após cruzar a linha de chegada, "desabou?? no chão, sentindo os efeitos do forte calor (29 graus no fim da prova). "Estou muito feliz com a vitória. Tive uma recepção muito boa e, se os organizadores me convidarem, virei correr aqui novamente??, disse, logo após a vitória, Jifar, que ganhou um prêmio de R$ 12 mil. Bem menos do que os US$ 80 mil que faturou em novembro ao vencer, com recorde, a Maratona de Nova York, e também dos US$ 100 mil que já tem assegurado para correr em abril, na Maratona de Londres, seu principal objetivo em 2002. O etíope imprimiu um ritmo forte hoje, principalmente considerando-se o calor e o fato de ser um atleta acostumado a provas longas. "Estava muito calor e os africanos impuseram um ritmo muito forte nos últimos três quilômetros??, afirmou Jifar. Aos que se se surpreenderam com seu desempenho, explicou: "Passei o último mês fazendo treinos de velocidade, para poder correr os 15 quilômetros??. Ele treina com o melhor fundista de pista de todos os tempos, Haile Gebrselassie.Confira a classificação final da prova masculina:1º Tesfaye Jifar (Etiópia) - 44min15s2º Gilbert Okari (Quênia) - 44min32s3º John Yuda (Tanzânia) - 44min37s4º Marilson Gomes dos Santos (Brasil) - 44min43s 5º Vanderlei Cordeiro de Lima (Brasil) - 44min55s6º Evans Rutto (Quênia) - 45min38s7º Rômulo Wagner da Silva (Brasil) - 45min46s8º Kigen Kibet (Quênia) - 46min02s9º Paulo Alves dos Santos (Brasil) - 46min22s10º José Cícero Eloy (Brasil) - 46min27s

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.