Joanna Maranhão acusa ex-técnico de molestá-la sexualmente

Nadadora brasileira diz que fato aconteceu aos nove anos e que trauma prejudicou desempenho nas piscinas

08 de fevereiro de 2008 | 12h00

A nadadora brasileira Joanna Maranhão, de 20 anos, acusou nesta sexta-feira seu ex-técnico na natação, quando tinha apenas 9 anos de idade, de tê-la molestado sexualmente. O nome dele está sendo mantido em sigilo pela nadadora, que disse ter resolvido tornar público o fato por já estar recuperada do trauma da situação, em entrevista ao site Gazeta Esportiva. Segundo Joanna, o fato acabou afetando seu desempenho no esporte. "A verdadeira historia é que na infância fui molestada pelo meu técnico. Mas a mente tem um poder incrível e durante todos esses anos eu tentei convencer a mim mesma que nada daquilo tinha acontecido, que tinha sido fruto da minha imaginação". Na época, ela treinava no Náutico, em Recife (PE), sua terra natal.Ela acrescentou: "Mas como uma onda muito forte, dez anos depois eu fui tomando consciência de tudo que eu tinha sofrido. Foi muito doloroso, foi um processo lento. Freqüentei psiquiatra e psicólogo, porque eu precisava colocar aquilo tudo para fora. Durante esse processo, tudo na minha vida sofreu as conseqüências e com a natação não poderia ter sido diferente."O técnico atual da nadadora, João Reynaldo Nikita, e os pais de Joanna, já reforçaram a acusação. Por enquanto, nenhuma medida foi tomada. Joanna Maranhão está treinando pensando na Olimpíada, embora considere suas chances de classificação pequenas por ter problemas com a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) e seu presidente, Coaracy Nunes.Atualizado às 13h26 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
nataçãoJoanna Maranhãoabuso sexual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.