Joanna Maranhão lamenta falha, mas vai à semifinal nos 200 metros medley

Brasileira cravou o tempo de 2min14s26, 21 centésimos pior do que ela fez em fevereiro, na sua melhor prova de 2012

AE, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 08h25

LONDRES - Joanna Maranhão foi a primeira decepção brasileira em Londres. No sábado, antes de competir nas eliminatórias dos 400 metros medley, ela teve um mal-estar, caiu no banho, cortou o supercílio e teve que ir a um centro médico, perdendo a chance de competir na prova para a qual mais se dedicou em todo o ciclo olímpico - e a única na qual conseguiu índice.

Nesta segunda-feira, ela nadou os 200 metros medley sem responsabilidades. Afinal, era apenas a 55.ª do ranking mundial. E a brasileira acabou surpreendendo ao conseguir passar para a semifinal. O tempo, de 2min14s26, foi 21 centésimos pior do que ela fez em fevereiro, na sua melhor prova de 2012. Joanna Maranhão sabia que podia ter ido melhor, mas não reclamou do desempenho.

"Me senti bem. Errei a virada do peito para o crawl, era pra ter dado outra braçada. Foi a única coisa que errei. Não senti nada do corte. Fiz o melhor que eu pude hoje (segunda). Nadei quase a minha melhor marca. Mas estou satisfeita", comentou Joanna Maranhão, à SporTV.

De acordo com a reportagem do canal, Joanna Maranhão não quis esperar o resultado da quinta bateria para conceder entrevista, pois tinha certeza de que não nadaria semifinal. Ela terminou em sétimo na sua série e precisava torcer para só no máximo nove das 16 nadadoras que competiram depois dela fizessem tempo melhor. E foi exatamente isso que aconteceu. A brasileira acabou com 16.º tempo e faz a semifinal às 16h55.

MASCULINO

Entre os homens, só decepção. Kaio Marcio Almeida e Leonardo de Deus nadaram nesta segunda-feira pela manhã e não conseguiram avançar à semifinal dos 200 metros borboleta, prova na qual ambos estavam entre os 10 melhores do mundo.

O nadador do Fluminense terminou com o 17.º tempo geral, empatado com o britânico Joe Roebuck. A organização dos Jogos chegou a marcar uma prova desempate, para alguns minutos depois, mas ela acabou cancelada.

"Infelizmente não consegui fazer um tempo", lamentou Kaio Marcio, depois das baterias eliminatórias, já indicando que não confiava na possibilidade de uma final. "Acho que vai ser difícil alguém desistir. É assim mesmo", disse ele, visivelmente chateado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.