João Gomes e Leonardo de Deus vão a finais no Mundial

O Brasil terá apenas um representante na final da prova dos 50 metros peito do Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona. Nesta terça-feira, João Gomes Junior se classificou para a disputa de medalha, que será nesta quarta, mas Felipe Lima acabou sendo eliminado.

AE, Agência Estado

30 de julho de 2013 | 15h01

João Gomes registrou o terceiro melhor tempo das semifinais, com 27s05, sendo mais lento do que o sul-africano Cameron van der Burgh, que marcou 26s81, e do esloveno Damir Dugonjic, com 26s83. "Consegui acertar os erros que tinha cometido pela manhã", disse o brasileiro, que tinha ficado em oitavo lugar nas eliminatórias, com 27s39.

Agora, João Gomes sonha em conquistar uma medalha na final desta quarta. "Nadei o meu melhor aqui. Amanhã o importante é quem bater na frente", disse, em entrevista ao SporTV. "Venho batalhando desde 2009, vai dar certo desta vez", completou.

Já Filipe Lima ficou fora da final por apenas 0s04 ao registrar o tempo de 27a48, o que o deixou na nona colocação. A decepção veio após ele faturar o bronze nos 100 metros peito um dia antes. "A natação é isso. Se você vacilar, não entra. Nadei um pouco mal. Tenho que pensar no que aconteceu. Acontece", lamentou o brasileiro, que tinha sido o segundo mais rápido das eliminatórias.

LEONARDO DE DEUS - Já o brasileiro Leonardo de Deus foi quarto da primeira eliminatória dos 200 metros borboleta com o tempo de 1min56s06 e acabou avançando à final com a sétima melhor marca das semifinais, lideradas pelo sul-africano Chad Leclos, campeão olímpico, que cravou 1min55s33. O segundo colocado desta eliminatória foi o chinês Peng Wu, com 1min55s42

Após participar da primeira semifinal desta prova, Leonardo de Deus admitiu que precisaria de torcer muito contra o desempenho de seus rivais na segunda eliminatória. "A prova foi boa, estava cabeça a cabeça com o campeão olímpico (Chad Leclos) e nos últimos 50 metros ele deu o sprint final, agora é esperar pra ver. A prova não foi tão boa quanto esperava, mas agora vou depender da sorte, mas o campeão também depende de sorte", disse o brasileiro, para poucos minutos depois festejar a passagem para a decisão dos 200 metros.

"Não foi uma prova tão boa, mas estou fazendo minha primeira final de Mundial. Passei por uma Olimpíada que nem passei para uma semifinal. Estou no Corinthians (seu clube atual), trabalhando muito e é um sonho realizado.... Agora estamos aí, é Brasil", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.