Jogadas de efeito surgirão no momento certo, diz Falcão

Ala da seleção brasileira fez dois gols na vitória por 12 a 1 sobre o Japão, mas ficou devendo nos dribles

AE, Agencia Estado

30 de setembro de 2008 | 12h36

O ala Falcão marcou duas vezes na goleada de 12 a 1 sobre a seleção japonesa, em Brasília, na estréia do Brasil no Mundial de futsal, mas ficou devendo seus tradicionais dribles e jogadas de efeito. Após a partida, ele explicou que ainda não é o momento certo da competição para usar suas principais armas.   Veja também: Brasil goleia na estréia do Mundial de Futsal"Tenho de guardar as jogadas de efeito para o momento certo. Hoje era um jogo em que estávamos ganhando de goleada, e muita gente acha que é nessas horas que deveria fazer. Mas eu não acho. Para mim essas jogadas devem aparecer como diferencial em uma partida decisiva", afirmou o atleta.Para Falcão, a equipe brasileira tem condições de passar com tranqüilidade pela primeira fase e de buscar o título, que escapou nas duas últimas edições do torneio, ambas vencidas pela Espanha."Nós podemos fazer essa primeira fase fácil. Não é que ela será fácil, mas nós podemos torná-la fácil se jogarmos bem. A ansiedade da estréia já passou, e esta vitória nos dá confiança com certeza", disse.  

Tudo o que sabemos sobre:
futsalMundial de FutsalFalcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.