Divulgação|CBFS
Divulgação|CBFS

Jogador de futsal, Neto é operado com sucesso para retirada de tumor no cérebro

Herói do título mundial permanecerá na UTI até a manhã de sábado

Estadao Conteudo

03 Fevereiro 2017 | 18h22

Herói do título mundial da seleção brasileira de futsal em 2012, Neto foi submetido a cirurgia nesta sexta-feira para a retirada de um tumor no cérebro. De acordo com o boletim médico do Hospital das Clínicas em São Paulo, o delicado procedimento foi realizado com sucesso.

Na última quinta, a Confederação Brasileira de Futsal (CBFS) e a assessoria de Neto confirmaram o diagnóstico do jogador. Justamente por conta da gravidade do quadro, ele foi internado o mais rápido possível no Hospital das Clínicas para, nesta sexta, ser submetido à operação.

De acordo com o boletim médico, a retirada da lesão cerebral aconteceu conforme o esperado e "o paciente encontra-se em boas condições clínicas". "Permanecerá na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) até a manhã deste sábado, quando deverá ser transferido para um quarto de enfermaria", diz a nota.

Neto será observado nos próximos dias e a previsão é de que ele receba alta já na próxima segunda-feira, justamente a data em que o hospital divulgará um novo boletim médico sobre o atleta.

O estado de saúde de Neto veio à tona na quinta-feira. Inicialmente, a CBFS relatou seu problema como uma "lesão", que o tirou de amistosos contra a seleção da Catalunha no mês passado. A própria entidade, no entanto, garantiu posteriormente que não sabia da extensão do problema do fixo ao anunciar o corte.

Neto foi o grande herói do título mundial da seleção brasileira em 2012, quando marcou o gol que deu a vitória por 3 a 2 na decisão contra a Espanha, na prorrogação. Naquele ano, também foi eleito o melhor jogador de futsal do mundo.

Veterano, o fixo foi revelado pelo Atlético-MG ainda nos anos 90 e passou por clubes como Ulbra, Santos, Joinville e Corinthians, seu último time no Brasil. Atualmente, veste as cores do Kairat Almaty, do Casaquistão.

Mais conteúdo sobre:
futsal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.