Jamie Squire/AFP
Jamie Squire/AFP

Jogador disputa final do beisebol sem saber da morte do pai

Esposa pediu para que atleta fosse informado só após final da MLB

Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2015 | 10h50

O dominicano Edinson Volquez participou da primeira partida da final da Major League Beisebol (principal liga norte-americana de beisebol), na noite de terça-feira, sem saber que o próprio pai havia morrido pouco antes do início do jogo. À pedido da família, ele só foi avisado do falecimento do pai, na República Dominicana, após participar da partida, a mais longa final em 112 anos de MLB.

Volquez foi o primeiro lançador do Kansas City Royals na primeira partida da chamada World Series, a final da MLB e participou do jogo até a sexta entrada - o jogo teve 14, contra nove usuais, e foi vencida pelo Royals por 5 a 4.

O técnico da equipe, Ned Yost, foi avisado pela esposa de Volzquez da morte do pai do atleta, aos 63, na República Dominicana, por complicações cardíacas. Ela pediu que seu marido fosse escalado normalmente e só avisado do ocorrido após sua participação no jogo.

Parte dos seus colegas de equipe, entretanto, sabia da morte do pai de Volzquez, assim como toda a torcida do Royals presente ao estádio da equipe. "Foi difícil para mim saber o que eu sabia e ver ele competir da forma que ele competiu. Foi muito duro", contou Yost, em entrevista após o jogo.

Como existem aparelhos de televisão no vestiário, a FOX, que transmitia a partida, concordou em não relevar a morte do pai do jogador até que ele mesmo fosse avisado. Isso só ocorreu após sua participação, quando foi chamado pelo diretor do clube para que conversasse com sua esposa.

Chris Young, que também perdeu o pai recentemente, foi avisado pelo técnico que poderia precisar entrar como titular de última hora, caso Volquez acabasse informado da morte do pai. No último inning, Young contou aos demais companheiros e cobrou a vitória para Volquez, o que acabou ocorrendo.

Tudo o que sabemos sobre:
beisebolMajor League Beisebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.