Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Jogadores aprovam a atuação da seleção

Vitória magra sobre a Bósnia é enaltecida e desempenho da equipe, elogiado; há quem tenha visto evolução tática

ANDREI NETTO / ST. GALLEN, ENVIADO ESPECIAL, O Estado de S.Paulo

29 de fevereiro de 2012 | 03h07

Os jogadores da seleção brasileira se disseram muito satisfeitos pela magra vitória por 2 a 1, obtida com gol contra, sobre a Bósnia-Herzegovina, 19.ª no ranking da Fifa. A maioria viu evolução técnica e tática no time e poucos reconheceram atuações apagadas ou falhas individuais. Julio Cesar, por exemplo, não falou em erro, mas se deu nota 5.

Para os atletas, a Bósnia surpreendeu pela consistência defensiva e incomodou com seu ataque forte e rápido, mas ainda assim o Brasil teria sido melhor e merecido a vitória. Autor do gol logo a três minutos, o lateralMarcelo saudou seu retorno à seleção com uma vitória. "Ainda temos de melhorar muita coisa. O tempo é curto a cada convocação, mas no geral temos tempo pela frente para aperfeiçoar'', disse.

O meia Ganso, que entrou no segundo tempo no lugar de Ronaldinho e mudou a cara da partida, também se mostrou contente com sua atuação. Comemorou o fato de ter conseguido melhorar o toque de bola da equipe e encontrar espaços vazios que não haviam aparecido no primeiro tempo. Ele disse que o time está cada vez mais consistente. "A gente está montando uma equipe muito boa, tanto tática, quanto tecnicamente.''

O otimismo com o resultado era tamanho que até quem não foi bem encontrou motivos para celebrar. Julio Cesar não reconheceu a falha no gol bósnio. "Teve duas bolas: uma eu defendi e a outra entrou'', resumiu.

Para o goleiro da Inter, a seleção merece ser elogiada pelo desempenho de ontem, mesmo que ainda haja um caminho para evoluir ao longo dos próximos quatro amistosos, que serão realizados a partir de maio - dia 26 daquele mês, o adversário é a Dinamarca, em Hamburgo. "Eu particularmente gostei muito do time'', avaliou.

Já o atacante Leandro Damião teve dois discursos na saída do vestiário. Em um primeiro momento, enalteceu sua movimentação e sua desenvoltura, dizendo-se ter jogado com naturalidade "ao lado de grandes jogadores''. Ao saber que na coletiva Mano Menezes havia dito que "Damião às vezes foi, às vezes não foi Damião'', o centroavante fez sua autocrítica. "O Mano está certo. Tem de me cobrar mesmo. Eu também me cobro muito.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.