Jogadores brasileiros dominam soccer americano

Com a saída de David Beckham para o Milan, maior salário agora é do mexicano Blanco

, O Estadao de S.Paulo

29 de março de 2009 | 00h00

A mais nova tentativa de implementar o futebol de forma consistente nos Estados Unidos teve início na semana passada, com a realização da primeira rodada da liga americana, a Major League Soccer - MLS. Mas a competição já começou com um sério desfalque: sem o meia Beckham, que trocou temporariamente o Los Angeles Galaxy pelo italiano Milan.A importância do jogador inglês para o sucesso da competição pode ser medida por seu salário, então o maior da liga: até US$ 6,5 milhões por ano. Com a sua saída para Milão, o atleta mais bem pago passou a ser o mexicano Cuauhtemoc Blanco (ex-America do México), com cerca de US$ 2,9 milhões.Mas, surpreendentemente, o México não está entre os países com mais jogadores na MLS. O Brasil é o grande fornecedor de atletas para o soccer: nove, com destaque para o paulista Luciano Emílio, o astro do D.C. United. Em seguida, vem Canadá (6), Austrália (5) e Suécia (4).O campeonato deste ano é disputado por 15 equipes divididas em conferências - do Leste e do Oeste -, como ocorre no basquete. E, também à semelhança da NBA, o título será decidido em playoffs disputados por oito clubes: os dois melhores de cada conferência e os quatro mais bem colocados, independentemente de sua conferência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.