Divulgação/NFL
Divulgação/NFL

Jogadores brasileiros participam de peneira da NFL na Alemanha

Luis Polastri e Otávio Amorim foram os primeiros atletas do País convidados para o evento que seleciona novos jogadores para a liga de futebol americano

Felipe Laurence, especial para o Estado

28 de outubro de 2019 | 11h00

Pela primeira vez dois jogadores brasileiros de futebol americano participaram de uma peneira com atletas internacionais realizada pela NFL (a liga norte-americana de futebol americano) na cidade de Colônia, na Alemanha. Os testes ocorreram nos dias 19 e 20 deste mês, e ainda não têm respostas. Luis Polastri e Otávio Amorim jogam no Timbó Rex, equipe de Santa Catarina que disputa a primeira divisão da liga brasileira da modalidade. Eles foram convidados para o evento. 

Na peneira, chamada de Combine, os jogadores fazem uma série de avaliações físicas. São medidos por olheiros da NFL e realizam atividades de campo para testar suas habilidades como velocidade, agilidade, impulsão e força. Nesta edição do Combine internacional, participaram 32 atletas de 19 países do mundo inteiro, como Alemanha, México, Reino Unido e Japão. 

"Os talentos que participaram do Combine 2019 superaram nossas expectativas, foram atletas muito fortes e explosivos. Eles se destacaram principalmente nas atividades de salto e no supino", explicou Damani Leech, diretor da NFL International. 

O objetivo da liga dos EUA de futebol americano é selecionar os jogadores que mais se destacarem, levá-los para um período de treinos na país no início de 2020 e então alocar os melhores atletas em times da NFL no programa chamado International Player Pathway, que existe desde 2017. 

"Estou muito animado, eu e o Otávio somos os dois primeiros brasileiros a participar de um Combine e quis representar bem o Brasil e minha família", diz Polastri, que joga como linebacker, uma posição da defesa. "Essa oportunidade significa muito para mim, jogar na NFL é um sonho desde que era jovem e comecei a jogar futebol americano", disse ao Estado. "É incrível, essa oportunidade não é para qualquer um. Fiquei muito feliz quando surgiu o convite e estou feliz de representar o meu País", comemora Amorim, que é jogador da linha ofensiva da equipe catarinense. "Quis mostrar a todos o País maravilhoso que é o Brasil."

Os dois seguem os passos de Durval Queiroz, o Duzão, que entrou na NFL a partir deste programa e atualmente está na equipe de treinos do Miami Dolphins. A liga prevê que os selecionados serão informados no início de dezembro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.