Victor R. Caivano/AP
Victor R. Caivano/AP

Jogadores da seleção espanhola pregam respeito ao Taiti

Apesar de reconhecer favoritismo diante do próximo adversário, Espanha elogia rival

TIAGO ROGERO, Agência Estado

18 de junho de 2013 | 13h04

RIO - Os jogadores da seleção espanhola minimizaram nesta terça-feira os protestos em todo o Brasil e afirmaram que o time está focado unicamente na conquista da Copa das Confederações, título que a Espanha ainda não tem. O atacante Pedro, do Barcelona, e o meia Juan Mata, do Chelsea, escalados para a entrevista coletiva, admitiram o favoritismo diante do Taiti, adversário da próxima quinta-feira no Maracanã, mas pregaram respeito ao adversário.

"Vimos pela televisão", disse Mata, ao falar sobre os protestos que tomaram a conta do Brasil na segunda-feira. "Mas a verdade é que nosso objetivo, nosso foco, tem de estar no torneio. Temos que entrar para ganhar os jogos e conseguir o troféu, estamos concentrados nisso."

Mata e Pedro elogiaram o Taiti pelo que viram no jogo contra a Nigéria na segunda-feira, quando os taitianos perderam por 6 a 1 no Mineirão. O meia do Chelsea disse ter visto um "futebol alegre". "Pude ver um pouco da partida contra a Nigéria. O Taiti tem jogadores rápidos, é uma equipe difícil. Vamos enfrentá-los tentando sempre o nosso melhor para tentar vencê-los", afirmou o atacante do Barcelona.

Depois da estreia vitoriosa sobre o Uruguai no Recife, os jogadores da Espanha chegaram na segunda-feira ao Rio e à noite ainda fizeram treino regenerativo em São Januário. Nesta terça, eles voltam ao estádio do Vasco para nova atividade. Pedro e Mata admitiram que não sabiam da existência de uma estátua de Romário, que teve ótima passagem pelo Barcelona, atrás de um dos gols do local.

Ambos evitaram polêmica ao comentar a opção do técnico Vicente Del Bosque por Casillas como titular no gol - Victor Valdés vinha jogando, mas foi preterido na estreia da Copa das Confederações. "É uma decisão do treinador, qualquer um dos três poderia jogar, por isso não me surpreender", disse Pedro, companheiro de Valdés no Barça, referindo-se também ao terceiro goleiro, Reina, do Liverpool. Mata endossou a resposta do colega de time: "Encarei com naturalidade. Os três seriam titulares em qualquer seleção do mundo".

Para o atacante do Barça, vencer a Copa das Confederações não é obrigação: "Mas queremos porque é um título que não temos". Ao comentar uma possível final entre Brasil e Espanha, dia 30 de junho, no Maracanã, Pedro afirmou que seria "mítica". "Mas temos de ir passo a passo", ressaltou. Já Mata disse que realizará um sonho de criança ao jogar no Maracanã, na quinta-feira, contra o Taiti. "Esperamos jogar a final aqui também", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.