Jogadores do Palmeiras voltam de Minas revoltados

Árbitro Fabrício Neves Correa foi cercado no final do jogo pelos subordinados de Felipão

O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2012 | 03h04

Os jogadores do Palmeiras ficaram revoltados com o árbitro Fabrício Neves Correa. No final do jogo, cercaram o trio de arbitragem reclamando dos dois gols marcados pelo Cruzeiro e pela anulação (correta) de um gol de Obina no último minuto.

"Toda hora tem erro contra a gente. Fica difícil assim", desabafou Maikon Leite, pouco antes de receber o aviso do técnico Luiz Felipe Scolari para que não desse entrevista.

O lateral-direito Artur reclamou do primeiro gol celeste. "Foi fora da área (a falta). Vocês (jornalistas) viram o que aconteceu, mas é melhor ficar quieto."

Já o goleiro Bruno, um dos melhores do Palmeiras em campo, também reclamou e admitiu que estar na zona de rebaixamento preocupa. "Não foi pênalti. Se foi falta, foi fora da área. A zona de rebaixamento é algo para se preocupar. Não podemos ficar lá atrás. Precisamos fazer mais pelo Palmeiras", resumiu.

Sobre sua atuação, mostrou indiferença. "Não adiantou nada eu ter ido bem hoje (ontem). Perdemos do mesmo jeito."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.