Jonathan Newton/ Washington Post
Jonathan Newton/ Washington Post

Jogadores se unem em protesto contra o racismo na abertura da liga de beisebol americana

Atletas se ajoelharam antes da execução do hino nacional dos Estados Unidos 

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2020 | 15h18

Jogadores do Washington Nationals e do New York Yankees se ajoelharam e seguraram uma faixa preta, em forma de protesto, durante a partida de abertura da temporada da MLB (Major League Baseball), principal liga de beisebol dos Estados Unidos. Os atletas lembraram o gesto de Colin Kaepernick, ex-NFL, pioneiro na execução deste tipo de manifestação contra o racismo no país. Contudo, diferente Colin, que se ajoelhava durante a execução do hino nacional, os jogadores da MLB executaram o gesto antes do hino.

"Hoje, e todos os dias, nos reunimos como irmãos. Como iguais, todos com o mesmo objetivo — nivelar o jogo. Para mudar as injustiças", escreveu a liga, em seu perfil oficial no Twitter. As mesmas palavras foram ditas pela voz do ator Morgan Freeman, durante a cerimônia de abertura, que prosseguiu: "Igualdade não é apenas uma palavra. É nosso direito! Hoje, somos homens de 25 nações em 6 continentes. Hoje somos um”.

Resgate do gesto de Kaepernick

Numa partida de pré-temporada contra o Green Bay Packers, em 2016, Colin Kaepernick não se levantou durante a execução do hino nacional norte-americano. Ele preferiu ficar sentado no banco de reservas em protesto contra as pessoas que comandavam seu país.

No entanto, no mesmo ano, o atleta alterou sua forma de manifestação em respeito aos militares dos Estados Unidos. Kaepernick passou a acompanhar o hino dos Estados Unidos de joelhos, ao invés de permanecer sentado no banco. Isso porque, durante um funeral militar à bandeira norte-americana é entregue à família do falecido por um oficial ajoelhado.

Em 2020, esse mesmo gesto passou a ser recorrente em manifestações contra o racismo nos Estados Unidos em decorrência do assassinato de George Floyd. Ele foi asfixiado até morte por um policial, que se ajoelhou em seu pescoço para imobilizá-lo.

O ato também foi reproduzido na partida de retomada da MLS (Major Soccer League), principal liga de futebol americana. Jogadores de ambas as equipes vestiram, no aquecimento, camisetas pretas com a frase “Black Lives Matter”.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.