Jogos de 2012 podem aumentar casos de DSTs em Londres

Organização Terence Higgins Trust diz que chegada em massa de trabalhadores elevará o índice da prostituição

Efe,

17 de março de 2008 | 15h49

A chegada em massa de operários para os trabalhos de construção das instalações em Londres para os Jogos Olímpicos de 2012 pode trazer como conseqüência um aumento da prostituição e das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) no Reino Unido, segundo advertem especialistas em saúde.   A Terence Higgins Trust, organização sem fins lucrativos dedicada a combater a aids e as demais doenças sexualmente transmissíveis, pediu uma reunião urgente com os responsáveis do comitê organizador dos Jogos Olímpicos de Londres 2012, segundo informa nesta segunda-feira o jornal The Times.   Mais de mil de operários já estão trabalhando nas obras das instalações olímpicas, e outros 2 mil devem começar a chegar ao país nas próximas semanas.   No total, espera-se que nos próximos quatro anos estejam trabalhando na zona olímpica e em seus arredores em torno de cem mil operários.   As organizações sanitárias advertiram também que milhares de prostitutas poderiam chegar a Londres durante os próximos anos para atender à crescente demanda por sexo representada por esses trabalhadores, em sua maioria solteiros.   "Haverá muitos trabalhadores imigrantes, em sua maioria homens, separados de suas famílias. Muitos praticarão sexo sem proteção. Há um grande perigo de difusão de doenças sexualmente transmissíveis, como a aids e a gonorréia", assinala Lisa Power, do Terence Higgins Trust.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaLondres 2012DSTssaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.