Jogos de Inverno terminam amanhã

Acabam neste domingo os Jogos Olímpicos de Inverno de Salt Lake City, marcados por descontentamentos com resultados e muitas reclamações, principalmente de russos para com juízes favorecendo norte-americanos, que lembraram a "Guerra Fria". Na sexta-feira à noite, depois de a Rússia perder para os Estados Unidos no hóquei sobre o gelo, garantindo vaga na final contra o Canadá, a delegação russa ainda ameaçava boicotar a cerimônia de encerramento. Para os brasileiros, a vitória foi no número de participantes: recorde de 11, divididos entre bobsled, croos country, luge e esqui alpino. Como já era esperado, acabaram ficando nas últimas colocações, mas ganharam o carinho da torcida. Além disso, Renato Mizoguchi, que competiu no luge, foi reconhecido na televisão pela mãe Maria Ângela Bezerra, que há 23 anos não sabia do filho, que foi viver com o pai no Japão quando tinha três. Desde que foi escolhida como sede desta Olimpíada de Inverno, em 1998, Salt Lake City foi marcada por escândalos de corrupção na escolha da cidade-sede. Foram muitas as denúncias, que culminaram na expulsão de oito membros do Comitê Olímpico Internacional. Dirigentes locais reconheceram que cerca de US$ 500 mil "em bolsas de estudo" foram passados a membros do COI e pessoas próximas da entidade; autoridades municipais usaram cartões de crédito no pagamento de prostitutas para convidados que votariam na sede. Mirella- A brasileira Mirella Arnhold ficou em 48º no slalom gigante, com o tempo de 3min13s74 nas duas descidas. Das 69 atletas que competiram na prova, 21 caíram e não conseguiram completar um dos dois traçados. A medalha de ouro da prova ficou com a croata Janica Kostelics. A atleta é a primeira esquiadora a ganhar quatro medalhas no esqui alpino em uma só edição dos Jogos- ganhou no slalom, slalom giante e combinado, e foi prata no slalom super gigante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.