Jogos Sul-Americanos começam na 5ª

Quatro cidades começam a sediar nesta quinta-feira a maior edição dos Jogos Sul-Americanos da história. A competição será realizada pela sétima vez, a primeira no Brasil, com 2.069 atletas inscritos em 26 modalidades. O número de participantes deste ano é o maior já registrado. São 4.644 inscritos, entre atletas, membros de comissões técnicas, organizadores e árbitros. São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Belém foram escolhidas para sediar as disputas. Os representantes dos 14 países participantes já chegaram ao Brasil, que tem a maior delegação dos Jogos, com, 465 atletas. Também disputam a competição atletas da Argentina, Aruba, Antilhas Holandesas, Bolívia, Chile, Equador, Guiana, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. A grande ausência será a Colômbia, que se recusou a participar, em represália à decisão da Odesur (Organização Esportiva Sul-Americana) de lhe retirar a realização dos Jogos, por razões de segurança. O futsal é um dos destaques entre as modalidades, já que pela primeira vez será disputado em um torneio multiesportivo e sua inclusão pode contribuir para que seja aceito como modalidade olímpica pelo Comitê Olímpco Internacional. O Brasil pode aproveitar os Jogos Sul-Americanos para melhorar o desempenho no quadro de medalhas da competição. O país ocupa o terceiro lugar no ranking, com 162 medalhas de ouro. A Argentina é a líder, com 559 e em segundo está o Chile, com 203. Uma das esperanças de medalhas para o Brasil é a delegação de atletismo, que terá suas provas na cidade de Belém. O grupo brasileiro é formado por 72 atletas - 37 homens e 35 mulheres - e tem diversos competidores que disputaram o Mundial de Atletismo Juvenil, na Jamaica, quando o país teve a melhor participação em competições internacionais na categoria. Além de vitórias e medalhas, os dirigentes brasileiros esperam obter resultados políticos com os Jogos Sul-Americanos. O sucesso na organização pode fortalecer a candidatura do país para sediar o Pan-Americano de 2007, para o qual também concorre a cidade de San Antonio, nos Estados Unidos. "É nossa obrigação organizar muito bem os Jogos, como demonstração do que poderemos fazer no futuro", disse Carlos Artur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.