Jon Jones vai atrás da décima vitória consecutiva contra Gustafsson

Noite no UFC terá ainda o brasileiro Renan Barão contra o norte-americano Eddie Wineland

O Estado de S. Paulo

21 de setembro de 2013 | 08h30

TORONTO - Atual campeão da categoria meio-pesado, Jon Jones volta ao octógono para defender o cinturão contra o sueco Alexander Gustafsson, no UFC 165, que será realizado neste sábado no Air Canada Centre, em Toronto. A noite terá ainda o brasileiro Renan Barão, que defende o cinturão interino dos galos contra o norte-americano Eddie Wineland. Com 18 vitórias e apenas uma derrota, Jon Jones tentará seu décimo triunfo consecutivo no UFC. Para isso, o norte-americano precisa confirmar o favoritismo e bater o sueco.

Sobre as comparações feitas entre Jones e Gustafsson, o campeão discorda: "Não concordo com isso. A única coisa que temos igual é a idade, de 26 anos. Fora isso, somos totalmente diferentes. Temos estilos completamente distintos. Acredito que uso meu alcance melhor. Ele toma muitos golpes. Eu não. Contra o Rampage, ele me acertou duas vezes na luta inteira. O mesmo com o Machida. Acho que uso a distância bem melhor do que ele. As pessoas ficam falando sobre o trabalho de pé do Gustafsson, sobre o boxe dele, mas eu penso: o que estão falando? Olhe mais de perto", cutuca Jones.

Para manter o cinturão, ele, que é considerado um dos lutadores mais versáteis do mundo, deve apostar na sua envergadura, sua principal característica. Medindo 2,15m de mão a mão, Jones é dono da maior envergadura do UFC e deve somar a isso suas joelhadas voadoras, cotoveladas giratórias e os chutes rodados. Campeão da categoria com apenas 23 anos, Jon Jones poderá quebrar mais um recorde na sua meteórica trajetória na competição. Caso vença, ele passará o lutador Tito Ortiz em número de defesas de cinturão, tornando-se o maior da categoria, e ficará a quatro do recordista Anderson Silva.

Do outro lado, esse será o maior desafio de Gustafsson na carreira. Com 15 vitórias e apenas uma derrota em seu cartel, o sueco terá a oportunidade de superar um dos mais temidos lutadores do UFC. Apesar de ser considerado azarão, ele diz que está preparado para bater o atual campeão. "Eu ainda sinto como no início da minha carreira. Tenho muitos anos pela frente, mas quero ser o número um, o campeão. O único jeito para me tornar o melhor é bater o atual campeão, e estou me preparando para fazer isso", afirma o sueco.

Apesar de ter aprimorado seu wrestling, Gustafsson tem como ponto forte a luta em pé. Com um boxe afiado, já disputou torneios amadores e deve apostar na trocação para derrotar o norte-americano. "Jon Jones é completo, rápido, muito forte, tem uma grande envergadura e sabe usar muito bem golpes de curta e longa distância. Por isso é o campeão. Mas posso vencê-lo, porque estou fazendo meu melhor treinamento. Vou conseguir vencer e ficar com o título", garante.

CINTURÃO INTERINO

O brasileiro Renan Barão defende o cinturão interino dos galos contra o norte-americano Eddie Wineland. Em sua segunda luta pelo título provisório, ele precisa vencer para ainda sonhar com a unificação do cinturão da categoria, que depende da recuperação de Dominick Cruz, atual campeão, que não luta há mais de dois anos por causa de lesão. Outros três brasileiros estão no card do UFC 165: Wilson Reis encara Ivan Menjivar, Reneé Forte pega John Makdessi, e Michel Prazeres enfrenta Jesse Ronson.

Tudo o que sabemos sobre:
UfcJon JonesGustafsson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.