Jorge Wagner: substituto de Rogério nas faltas

Jorge Wagner só torce para ter uma ou duas ocasiões. O meia confia em sua capacidade de bater faltas para decidir a favor do São Paulo a semifinal contra o Corinthians. Sua responsabilidade no esquema do técnico Muricy Ramalho aumenta com a ausência de Rogério Ceni, lesionado. "Ele é o cobrador (de faltas) oficial do time", lembra o meia. "Agora sei que posso aparecer um pouco mais. Já treinei mais esta semana. Sei que, com uma oportunidade ou duas, podemos decidir o jogo."O jogador causa calafrios nos oponentes quando chega à linha de fundo ou se posiciona para bater uma falta próxima da área. Já marcou três vezes em 2009 e deu seis passes para gol. "É a minha parcela de contribuição", resume. Um dos principais jogadores do São Paulo na temporada, Jorge Wagner procura hoje, no Morumbi, se redimir. Apesar de ser um dos líderes de assistências do time, além de o responsável por alçar bolas na área - o técnico Mano Menezes, do Corinthians, diz que essa é a única jogada dos tricolores -, o meia falhou no jogo do Pacaembu, ao perder a bola que resultou no gol da vitória (2 a 1) dos adversários. "Aquilo já passou", diz ele. "Até um dia depois do jogo ainda estava chateado, mas meus companheiros me deram muita força. Eles sabem que podem contar comigo." O técnico Muricy Ramalho mudou a posição de Jorge Wagner no início do ano. Antes convertido em ala-esquerda, agora ele voltou à posição de origem, a meia. "Tenho mais liberdade para atacar e fazer gols. Não tenho tanta obrigação de marcar. O meio é um setor onde há mais opções de jogo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.