Divulgação
Divulgação

José Aldo acha difícil recuperação de Ronda e sugere a aposentadoria

Brasileiro vê Holly Holm em um nível muito melhor que ex-campeã

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

18 Novembro 2015 | 18h53

Dono do cinturão dos penas no UFC e um dos principais nomes do MMA na atualidade, o brasileiro José Aldo disse nesta quarta-feira que acha muito difícil que a norte-americana Ronda Rousey recupere o título do peso-galo feminino, perdido no fim de semana após ser nocauteada pela compatriota Holly Holm. Aldo foi mais longe e disse que Ronda deveria até mesmo abandonar o octógono para seguir carreira como atriz.

A derrota para Holm foi a primeira na carreira de Ronda e representou a perda de uma invencibilidade de doze lutas no Strikeforce e no UFC. Mesmo assim, José Aldo afirmou não ter ficado surpreso. "É normal. Acho que a Holm, que é multicampeã no boxe, conseguiu jogar o jogo dela em pé. Não só eu, mas qualquer um sabia que nessa situação a Holm ia vencer", declarou Aldo durante entrevista coletiva realizada em uma academia na zona sul do Rio.

"A Ronda é a grande campeã, merece respeito e tudo, mas acho que a Holm já é uma coisa muito mais alto nível", destacou o brasileiro. Antes de levar o cinturão feminino, Holly Holm já havia conquistado 19 títulos no boxe e vencido dez vezes no MMA.

Para José Aldo, Ronda Rousey deveria pensar em abandonar o octógono. "Acho muito difícil (Ronda recuperar o cinturão), e acho muito difícil até ela voltar a lutar. Hoje em dia, pelo rumo que a carreira dela tomou, se eu tivesse oportunidade de ganhar muito dinheiro fazendo filme eu acho que ia para esse lado. Acha que eu ia estragar meu rosto levando soco na cara? Tá louco!", comentou, fazendo referência ao fato de a norte-americana já ter participado de filmes como Mercenários 3 e Velozes e Furiosos 7.

"Se ela voltar, lógico que ela pode (retomar o cinturão), sempre foi uma lutadora. Mas se fosse eu, não voltaria", insistiu Aldo. "Vejo muito como a história da Gina (Carano, considerada a primeira musa do MMA). Era uma grande lutadora, e quando perdeu para a Cris (Cyborg) foi para a carreira dela de atriz e acho que está sobressaindo muito mais do que se estivesse lutando. Não faz dieta, não leva soco na cara, não faz nada", comparou o brasileiro.

José Aldo disse ainda que Ronda Rousey já deixou sua marca para sempre no UFC. "O legado que a Ronda deixa é que ela mudou o MMA feminino. Foi uma coisa que ninguém imaginava, o próprio Dana White dizia que nunca ia ter, e teve. Acho que esse é o legado dela e ela fez muito pelo MMA feminino."

Mais conteúdo sobre:
lutas UFC MMA José Aldo Ronda Rousey

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.