Judô brasileiro fatura 13 medalhas no Panamerican Open de Montevidéu

No total, Confederação Brasileira de Judô enviou 40 judocas ao Uruguai

AE, Agência Estado

18 de março de 2014 | 18h12

MONTEVIDÉU - Entre atletas enviados pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) e que viajaram graças a seus clubes, especialmente o Reação, do Rio, 40 judocas defenderam o Brasil no Panamerican Open de Montevidéu, no Uruguai. Eles conquistaram um total de 13 medalhas, sendo cinco delas de ouro, no torneio válido pelo Circuito Mundial e encerrado nesta terça-feira.

Torneio da série que menos vale pontos para ranking, o Open de Montevidéu viu o Brasil subir ao alto do pódio com Eduardo Bettoni (até 90kg), Hugo Pessanha (até 100kg), Raquel Silva (até 52kg), Samanta Soares (até 78kg) e Rochele Nunes (+78kg). Todos fazem parte da seleção brasileira.

Visando recuperar espaço na categoria até 66kg, hoje dominada por Charles Chibana, Luiz Revite ficou com a prata, mesmo resultado de Marcelo Contini na até 73kg. Entre os homens, o Brasil ainda ganhou bronze com Eric Takabatake (até 60kg), Felipe Costa (até 81kg) e com o desconhecido Ricardo Koga (+100kg).

No feminino, Gabriela Chibana foi direto de Santiago, onde disputou os Jogos Sul-Americanos, para Montevidéu. Lutando na categoria até 48kg, ficou com o bronze. Atletas olímpicas do Brasil, Katherine Campos foi prata e Rafaela Silva bronze na até 63kg.

A categoria até 57kg também teve duas brasileiras no pódio: Flávia Gomes, com prata, e Giullia Penalber, irmã de Victor Penalber, com o bronze. O País ainda foi ao pódio com a jovem Rafaela Barbosa (bronze na até 52kg) e com a desconhecida Kelly Mesquita, prata na até 70kg.

Tudo o que sabemos sobre:
judôPanamerican Open de Montevidéu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.