Judô brasileiro passa a modalidade vela e fica perto de meta para Londres

Com Sarah, a modalidade chega a 17 medalhas e lidera o quadro geral brasileiro. Vela tem 16 no total

TATIANA RAMIL, Reuters

28 de julho de 2012 | 15h18

Ao conquistar duas medalhas logo no primeiro dia de disputas, o judô do Brasil passou a liderar o quadro olímpico do país com 17 medalhas, uma a mais que a vela, e se aproximou da meta de quatro pódios estabelecida para os Jogos de Londres. Neste sábado, Felipe Kitadai inaugurou a lista de medalhas do Brasil em Londres ao ganhar o bronze no peso-ligeiro (até 60 quilos). Sarah Menezes foi além: levou o ouro na categoria até 48 quilos e estabeleceu marcas importantes.

A medalha da atleta piauiense de 22 anos foi o primeiro ouro do judô desde Barcelona-1992, com Rogério Sampaio, e o primeiro entre as mulheres. A única medalha das judocas brasileiras até então havia sido o bronze de Ketleyn Quadros, em Pequim-2008.

A outra medalha olímpica de ouro foi conquistada por Aurélio Miguel, em Seul-1988. "Minhas lutas foram todas muito estratégicas e foi o que aconteceu na Olimpíada com ele (Aurélio Miguel). Ele ganhou todas as lutas, não foi de ippon, foi muita estratégia mesmo", disse Sarah Menezes a jornalistas. "Eu fico muito feliz porque consegui conciliar isso, consegui lutar raciocinando, pensando, e esse que é o difícil para o atleta. Treinar, todo mundo treina igual, o que faz a diferença é a cabeça mesmo."

Com as duas medalhas, o judô, o único esporte no Brasil que conquista medalhas há oito Olimpíadas consecutivas, passa a ter 17 e lidera o quadro geral brasileiro, com 3 ouros, 3 pratas e 11 bronzes. A vela soma 16 no total --são 6 ouros, 3 pratas e 7 bronzes.

META É QUATRO

Os dirigentes do judô visam em Londres o melhor resultado da história. A meta é conquistar quatro medalhas, sendo ao menos uma de ouro. Metade do objetivo está alcançado, e restam ainda 12 atletas a competir, sendo que dois deles lideram o ranking mundial (Mayra Aguiar e Leandro Guilheiro).

Turbinada por um investimento de 5 milhões de reais só neste ano, a equipe brasileira teve uma preparação diferenciada para essa Olimpíada e pela primeira vez tem uma delegação completa --sete judocas na equipe masculina e sete na feminina, classificados pelo ranking mundial.

A equipe de judô contou com fortes patrocinadores, incluindo Infraero, Sadia e Bradesco, além de recursos vindos de leis de incentivo ao esporte olímpico, em sua preparação para Londres. Em 2008, ano dos Jogos de Pequim, o valor investido foi de 2 milhões de reais, e o país levou três bronzes.

Para 2012, a equipe viajou mais e separou as preparações das equipes masculina e feminina, considerando as necessidades específicas de cada judoca. Outra providência tomada pelos dirigentes foi a preparação de uma logística que inclui a viagem de 12 atletas para a Inglaterra apenas para auxiliar nos treinos, além da hospedagem num hotel na cidade de Sheffield, a cerca de duas horas e meia de Londres. Os atletas só entram na Vila Olímpica dois dias antes de competir.

(Com reportagem de Pedro Fonseca, em Londres)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.