Judô brasileiro recebe estrangeiros no CT do vôlei

Treinamento tem o objetivo de preparar os atletas para as competições do ano

Ronald Lincoln Jr., Agência Estado

13 de março de 2014 | 20h01

SAQUAREMA - Com o objetivo de se preparar para as competições que serão realizadas no decorrer do ano, cerca de 150 judocas de 10 países participam de um treinamento intensivo organizado pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ), na cidade de Saquarema (RJ). Atletas consagrados do esporte, como Rafaela Silva e Rafael Silva, estão presentes.

O camping, que teve início no dia 12 e vai até 23 de março, é sediado no centro de treinamento da seleção brasileira de vôlei. Em vez de quadras com redes, um grande tatame cobre o piso do ginásio.

Para Rafaela Silva, é muito importante treinar com as estrangeiras de sua categoria, porque, assim, continua mantendo o alto padrão nas lutas. "A maioria das meninas da minha categoria que estão aqui estão bem no ranking, e são as que eu vou pegar na próximas competições. Então é sempre bom estar lutando com elas para ver se não tem diferença, se o jogo está encaixando ou se precisa mudar alguma coisa", explica Rafaela.

Atletas da categoria de base da seleção também estão presentes no evento. A treinadora da equipe feminina do Brasil, Rosicléia Campos, acredita que é uma grande chance de essas jovens evoluírem no esporte. "É muito mais importante essa oportunidade para as meninas do que para a equipe sênior que pode viajar a lutar fora. Além de ser muito mais barato", conta.

Rafael Silva também procura aproveitar a oportunidade de trabalhar entre os estrangeiros, já que não é tão fácil encontrar atletas de sua categoria, acima de 100 quilos, para treinar. "A gente procura os atletas que podem criar mais dificuldades na categoria pesado, então procuro treinar bastante com eles. Tem o pessoal da categoria de base que também está ajudando a gente. Então, para mim que não tenho muito treino no pesado, é muito proveitoso", disse Silva.

A CBJ pretende manter esse treinamento no calendário do judô mundial. Esse tipo de preparação acaba sendo importante no planejamento para a Olimpíada de 2016, no Rio.

Recuperado de um cirurgia no ombro esquerdo, o judoca Tiago Camilo, com 31 anos, presente treinamento, já mira sua última participação nas Olimpíadas. "Eu quis vir para cá para estar de volta à seleção, e poder fazer um treinamento gradativo. O mais importante agora é acertar o calendário, priorizar algumas competições e fazer os pontos certos para classificar para as Olimpíadas."

Tudo o que sabemos sobre:
judôRafael SilvaRafaela Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.