Judô garante dois primeiros ouros e Brasil lidera os Jogos Mundiais Militares

A delegação brasileira que foi a Mungyeong, na Coreia do Sul, não poderia pedir um melhor início nos Jogos Mundiais Militares. No primeiro dia de competições, neste sábado, o País garantiu as duas medalhas de ouro em disputa, ambas no judô, e saltou à frente no quadro de medalhas.

Estadão Conteúdo

03 de outubro de 2015 | 10h12

Na disputa por equipes, as mulheres do Brasil derrotaram na final a Polônia por 5 a 0. Momentos depois, foi a vez dos homens fazerem bonito e passarem pela Mongólia por 4 a 1, mesmo com um judoca a menos, já que Leandro Guilheiro sofreu uma lesão nas semifinais e não pôde competir.

"Estou muito satisfeito com o resultado. A palavra é ''superação''. Mesmo com um judoca a menos na equipe e com adversários difíceis, conseguimos o ouro", disse o técnico do time masculino, Rafael Pereira Bezerra. "Sabíamos que não seria uma competição fácil contra a Mongólia. Pegamos adversários difíceis, como a própria Coreia, dona da casa, mas nosso grupo tem muita qualidade", comentou o judoca Leandro Cunha.

Os homens passaram por Chile (5 a 0), Azerbaijão (4 a 1) e Coreia do Sul (3 a 2), antes de derrotarem a Mongólia. Já as mulheres tiveram um caminho mais longo, depois de perderem para a Rússia, por 3 a 2, logo na estreia. Mas se recuperaram e venceram o Quênia (5 a 0), a Mongólia (5 a 0) e a China (5 a 0) antes da decisão.

"Acho que entramos meio desatentas e acabamos perdendo para a Rússia. Isso mexeu com o ego de todo mundo. Conversamos e voltamos focadas para as outras lutas. Essa medalha é muito boa, principalmente por ser em cima das polonesas, pois tínhamos perdido para elas no campeonato civil. Esse título nos dá bastante confiança para as disputas individuais", analisou a judoca Maria Portela.

Pensando nos Jogos Olímpicos do Rio, no ano que vem, o Brasil enviou seus judocas de elite para a Coreia do Sul. Passada a festa pelas medalhas, a preocupação agora fica com a lesão de Guilheiro. "Leandro Guilheiro ainda está sendo avaliado por nossas equipes, mas vamos torcer para que ele se recupere rápido e possa competir nas provas individuais", explicou o técnico Rafael.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Mundiais MilitaresjudôBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.