Judô luta no Pan por 3 vagas olímpicas

Fabiane Hukuda, na categoria meio-leve, e os ligeiros Alexandre Lee e Daniela Polzin, lutam nesta quarta-feira no Pan-Americano de Judô da Isla Margarita, Venezuela, pela última chance de obter vaga nos Jogos Olímpicos de Atenas. Fabiane tem a situação mais difícil porque além de ganhar o título do Pan terá de torcer para que Estados Unidos, Canadá e Venezuela fiquem fora do pódio. Também lutam os leves Leandro Guilheiro e Danielle Zangrando e o meio-leve Leandro Cunha, mas nessas categorias o Brasil já assegurou presença na Olimpíada. Alexandre Lee afirma que a vaga depende dele. ?Estou ansioso para que a luta chegue logo, mas ao mesmo tempo tranqüilo para competir.? Daniela Polzin não quer sentir novamente a frustração de ser eliminada da Olimpíada, como em 2000, quando ficou fora da seletiva por causa de contusão. Na categoria meio-leve, de Leandro Cunha, o Brasil tem vaga, mas o judoca não foi confirmado como titular da seleção. Venceu a primeira da série melhor-de-três seletivas, mas o segundo confronto foi adiado por uma liminar apresentada pelo rival Luiz Camilo, que queria mais tempo para se recuperar de contusão. A Confederação Brasileira de Judô ainda não solucionou a pendência. Nesta terça-feira, a pesado Priscila Marques e a médio Cristina Sebastião não obtiveram vagas para ir a Atenas. Priscila perdeu, na semifinal, para a equatoriana Carmen Chala. Cristina foi derrotada na abertura pela salvadorenha Sarai Mendoza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.