Judô tem seletiva olímpica em Ipatinga

Para o meio-leve Henrique Guimarães, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, a espera termina neste sábado. Enquanto seus companheiros estavam brigando por vaga olímpica, Henrique, de 31 anos, aguardava o desafiante - Leandro Cunha, de 24 anos, saiu de uma seletiva tardia, que resolveu uma discussão judicial. "Fiquei sabendo no treinamento de Portugal e passei a focar minha preparação nele. Lutei com ele várias vezes, tenho experiência, mas acho perigoso. É alguém que renasceu das cinzas. Num dia estava fora, no outro tinha a chance de ir à Olimpíada." Henrique e Leandro fazem a terceira série de lutas do programa de 12 categorias na Segunda Seletiva Olímpica do Judô, neste sábado, a partir das 10 horas, no Ginásio Municipal de Ipatinga (MG). O judoca meio-leve terá a ajuda de familiares e amigos - patrocinou o "ônibus do Henrique" (pagou R$ 5 mil pelo frete), vindo de São Paulo - e é favorito a abrir vantagem de 1 a 0. Ambos terão de lutar, pelo menos mais uma vez, dia 3 de abril, mas neste sábado o Brasil já começa a conhecer a equipe que estará em Atenas, em agosto, para defender a tradição de medalhas do judô, que trouxe medalhas das últimas cinco edições dos Jogos. Vários titulares das seis categorias classificadas no masculino e três no feminino podem ser confirmados após a série melhor-de-três lutas. A primeira seletiva foi dezembro e a terceira será dia 3 de abril, em Teresópolis ou Santos - duas vitórias asseguram a vaga. As categorias ligeiro, no masculino, ligeiro, meio-leve, médio e pesado, no feminino, terão de lutar por classificação olímpica - a última chance é o Pan-Americano da Isla Margarita, de 23 a 25 de abril. Até o dia 18, antes do embarque para o Pan, a Confederação Brasileira do Judô quer a equipe definida. Entre os dias 4 e 18, pode ser necessário seletivas no meio-leve e também entre os ligeiros Fúlvio Myata e Alexandre Lee, e os leves Luiz Camilo e Leandro Guilheiro, que tiveram seus confrontos deste sábado adiados por problemas de contusões. Entre os favoritos neste sábado estão Carlos Honorato, medalha de prata em Sydney (2000), que vence na categoria médio contra Edelmar Branco Zanol (o único judoca a não aparecer no encontro com a imprensa, nesta sexta-feira, em Ipatinga); e o pesado Daniel Hernandes, em vantagem sobre Fabiano Zambonetti. Vânia Ishii é favorita contra Erica Moraes, no peso meio-médio, e Ednanci Silva contra Claudirene César, no meio-pesado. "Acho que vou sair daqui com o passaporte carimbado, tenho confiança", observou Honorato. Mas há categorias em que ninguém arrisca um palpite, devido ao equilíbrio entre os judocas da seleção e desafiantes - como na luta entre Tânia Ferreira e Daniele Zangrando (vence por 1 a 0), no peso leve, e Flávio Canto e Tiago Camilo, medalha de prata nos Jogos de Sydney, no meio-médio. "Venci a primeira seletiva por 2 a 1, em momentos da luta. Vamos ver se tenho sorte - acredito no que está reservado para mim e pronto", acentua Canto, que ganhou medalha de bronze em Moscou no circuito europeu. Tiago Camilo trouxe a prata da Alemanha.

Agencia Estado,

12 de março de 2004 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.