Judoca alemã não irá à cerimônia de abertura

A judoca Yvonne Bõnisch, medalha de ouro nos Jogos de Atenas na categoria leve, é a segunda atleta alemã a afirmar que boicotará a cerimônia de abertura da Olimpíada de Pequim. Antes dela, a esgrimista Imke Duplitzer, prata na competição por equipes em 2004, também havia divulgado seu protesto, além de dizer que deixará a China o mais rápido possível depois de competir.Yvonne disse ontem que o ato mostra sua posição pró-Tibete. ''Quero dar um sinal claro'', declarou à emissora ZDF. A judoca disse, porém, que é contra um boicote. ''Participar da Olimpíada é importante para qualquer atleta. Um boicote destruiria milhares de sonhos.''FRANÇA PROÍBE PROTESTOO Comitê Olímpico Francês proibiu os atletas do país de exibirem, durante a cerimônia de abertura, um broche com a frase ''Por um mundo melhor'', em apoio aos direitos humanos.Para evitar polêmicas, contudo, o presidente do Comitê Francês, Henri Sérandour, diz que não será contra a uma manifestação do gênero, desde que uma outra frase, em concordância com todos os países participantes, seja proposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.