Judoca saudita ameaça abandonar os jogos

Futuro de Wojdan Ali Seraj Abdulrahim Shaherkani está ameaçado; governa anuncia que ela só competirá se puder entrar no tatame com o véu

JAMIL CHADE , ENVIADO ESPECIAL / LONDRES, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2012 | 03h03

O véu islâmico abriu uma polêmica nos Jogos Olímpicos de Londres e a judoca saudita que deveria participar da competição na sexta-feira está ameaçada de abandonar o evento se não puder disputar a competição com a cabeça coberta.

Pela primeira vez, o governo da Arábia Saudita permitiu que mulheres fizessem parte da sua delegação olímpica. O COI negociou essa participação e a aceitação de Riad foi considerada dentro da entidade como um sucesso diplomático.

Mas, agora, o futuro de Wojdan Ali Seraj Abdulrahim Shaherkani em Londres está ameaçado. O governo anunciou que ela só competirá se puder entrar no tatame com o véu. Na semana passada, o presidente da Federação Internacional de Judô, Marius Vizer, alertou que a saudita teria de lutar sem o véu e que esse era o "espírito e o princípio do judô".

O governo saudita ameaçou até mesmo abandonar os Jogos e o COI iniciou negociações de emergência para evitar o que seria uma crise política. "Estamos em plena negociação e buscando uma solução real", disse Mark Adams, diretor de Comunicações do COI. Segundo ele, a exigência de lutar sem o véu não é uma questão religiosa. "É puramente uma questão de segurança dos atletas."

Ontem, o jornal saudita al-Watan citou o pai da atleta dizendo que ela sairá dos Jogos se o COI insistir na remoção do véu. Nicolas Messner, porta-voz da federação de judô, declarou ontem que o uso do véu seria "muito perigoso".

A polêmica pode frustrar os esforços do COI de conseguir que os Jogos de 2012 entrem para a história como os primeiros a ter todas as delegações com atletas femininas. Além da Arábia Saudita, Brunei e Catar também enviaram atletas mulheres pela primeira vez. Além da judoca, os sauditas contam com Sarah Attar, que correrá os 800 metros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.