Judocas competem em Belo Horizonte de olho no Pan de Miami

'A Copa do Mundo é apenas um treino de luxo para mim', afirma a judoca Priscila Marques

Daniel Brito, Jornal da Tarde

30 de abril de 2008 | 20h03

A judoca Priscila Marques, da categoria acima de 78kg, desembarcou em Belo Horizonte, nesta quarta-feira, para disputar a etapa brasileira da Copa do Mundo, neste final de semana, na capital mineira. Mas está com a cabeça longe dali. Para ser mais exato, ela só pensa em Miami. Juntamente com Denílson Lourenço (até 60kg) e Danielli Yuri (até 63kg), Priscila tem apenas uma oportunidade de garantir presença nos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto. De 8 a 12 de maio, em Miami, eles participam do Pan-Americano sênior da modalidade. A etapa mineira da Copa do Mundo, portanto, não passará de um treino de luxo, já que não conta pontos no caminho até Pequim. Denílson e Danielli precisam só de uma vitória para carimbar o passaporte para a China. Priscila, muito mais que isso. Ela terá de ser campeã do Pan e torcer para que quatro adversárias diretas não fiquem entre as cinco melhores. A União Pan-Americana, entidade que organiza o judô no continente, tem direito a três vagas olímpicas na categoria, que será decidida por ranking. Em sexto, 11 pontos abaixo da líder Carmem Chala, do Equador, Priscila admite que a etapa da Copa do Mundo está em segundo plano. "Minha cabeça está voltada apenas para o Pan". Nenhuma das três primeiras colocadas no ranking continental estavam registradas na competição mineira. "A Copa do Mundo é apenas um treino de luxo para mim", reforçou. "Minha categoria é a mais equilibrada do judô feminino nas Américas". Caso fique de fora de Pequim, a categoria de Priscila será a única em que o Brasil não terá representantes nos Jogos. Mas se vencer em Miami e as adversárias tropeçarem, a judoca será protagonista de mais uma daquelas histórias de superação no esporte. Como se não bastasse a complicada situação no ranking, ela compete com fortes dores nos joelhos desde antes dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Judô

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.