Jonne Roriz/AE
Jonne Roriz/AE

Judocas do Brasil usam tecnologia para analisar rivais

Técnicos possuem informações e detalhes sobre todos os atletas classificados para a Olimpíada de Londres

WILSON BALDINI JR., Agência Estado

26 de julho de 2012 | 09h44

Com a definição das chaves do torneio olímpico de judô, os lutadores brasileiros iniciam uma nova fase da preparação para os Jogos de Londres. Ao mesmo tempo em que realizam a reta final de treinamentos, os judocas que estão concentrados em Sheffield analisam os adversários de estreia e os possíveis rivais nas rodadas seguintes.

Os técnicos da seleção brasileira de judô e lutadores contam com HDs externos, dispositivo de armazenamento de dados que pode se conectado a um computador, com informações e detalhes sobre todos os atletas classificados para a Olimpíada de Londres. Através desse dispositivo são feitas análises sobre os adversários nos Jogos.

A partir disso, os técnicos e judocas vão traçar estratégias para as lutas, que começam a ser realizadas neste sábado, com as participações de Felipe Kitadai (até 60kg) e Sarah Menezes (até 48kg). Coordenador da seleção brasileira de judô, Ney Wilson garantiu que o foco inicial está apenas na estreia.

"A preocupação nesse momento é com o adversário da primeira luta. Não dá para ficar fazendo uma análise de toda a chave", declarou o dirigente após a realização do sorteio das lutas do judô na Olimpíada.

Depois da definição das chaves, membros das comissões técnicas do judô brasileiro reclamaram dos critérios dos organizadores para a definição dos atletas que vão entrar direto na segunda rodada. Sarah Menezes, por exemplo, que é a terceira colocada do ranking mundial, precisará disputar a primeira rodada.

Tudo o que sabemos sobre:
judô Olimpíadas 2012Olimpíadajudô

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.