Judocas festejam saída dos Mamedes

Enquanto as 26 federações estiverem votando em Paulo Wanderley, o único candidato à presidência da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), nesta sexta-feira, a partir das 8 horas, na sede do Comitê Olímpico Brasileiro, no Rio, cinco medalhistas olímpicos vão festejar, no mesmo horário, a saída da família Mamede do comando do judô do País após 21 anos. Medalha de ouro em Seul, em 1988, e bronze em Atlanta, em 1996, Aurélio Miguel vai receber amigos em sua casa, na Vila Sônia, em São Paulo, para um café da manhã. O horário fez o judoca mudar os planos para a festinha: a idéia era fazer um churrasco. Carlos Honorato (prata em Sydney, em 2000), Rogério Sampaio (ouro em Barcelona, em 1992), Luis Omnura (bronze em Los Angeles, em 1984 ) e Walter Carmona (também bronze em 1984), entre outros, devem comparecer à comemoração.Douglas Vieira, vice-campeão em Los Angeles, lamenta não poder ir à casa de Aurélio. De manhã, ele dá aulas de Educação Física na Universidade Bandeirante de São Paulo (Uniban). "Torço para que seja feito um trabalho mais aprofundado, envolvendo não só os judocas, mas todos nós, que trabalhamos com o judô", pediu o ex-judoca.A festinha de Aurélio também servirá para acompanhar o resultado da assembléia extraordinária, convocada pelo presidente Joaquim Mamede Júnior, para a votação de doação do Centro de Treinamento (CT) de Santa Cruz a seu pai. Caso a CBJ decida doar o CT para Mamede-pai, um grupo de judocas ligados a Aurélio deve entrar na Justiça.Primeiro ato - O passo inicial de Paulo Wanderley, quando confirmado presidente da CBJ, será uma avaliação das pendências junto ao Tribunal de Contas da União. "De cara, vou autorizar uma consultoria a fazer estes levantamentos, para saldarmos dívidas", conta o candidato único, que também "contratou" uma empresa de marketing para procurar patrocínio. "Quero que o Mundial (em julho, na Alemanha) tenha custo zero para os atletas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.