Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Julgado, Alceu Feldmann tem pena de 2 anos mantida

Corredor havia sido punido por se recusar a fazer um exame antidoping durante a etapa de Nova Santa Rita, RS

AE, Agência Estado

15 de agosto de 2012 | 11h17

A Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) confirmou, no final da noite da última terça-feira, que o piloto da Stock Car Alceu Feldmann teve a suspensão de dois anos aplicada contra ele mantida em julgamento realizado no último dia 8. No início do mês passado, o corredor havia sido punido por se recusar a fazer um exame antidoping durante a etapa do Velopark da categoria, em 6 de maio, em Nova Santa Rita (RS).

Porém, logo em seguida o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da CBA acatou um pedido de efeito suspensivo da defesa de Feldmann, que permitiu a sua participação em eventos esportivos até a realização de um novo julgamento.

Inicialmente, o piloto foi suspenso por 30 dias no fim de maio, antes de ser condenado a dois anos de gancho. Feldmann alegou que usa uma substância proibida, mas para fins terapêuticos, com a liberação da CBA. Mas, como não possuía um documento formal que permitia a utilização da mesma, ele se recusou a fazer o exame antidoping durante a etapa do Velopark.

O regulamento da Agência Mundial Antidoping, entretanto, aponta a recusa da realização do teste como tão grave quanto a presença de uma substância proibida no exame. Por isso, recomenda a suspensão por dois anos, o que foi adotado nesse caso pelo STJD.

Com a suspensão ratificada no julgamento do último dia 8, Feldmann ficará afastado das pistas até 2014. Piloto da equipe Shell/Mattheis, ele ocupa hoje a 28.ª colocação desta temporada da Stock Car, com nove pontos, após seis etapas disputadas nesta temporada.

Tudo o que sabemos sobre:
Stock CarAlceu Feldmanndoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.