Juliana Almeida conquista bronze na patinação artística

Com uma ótima performance, a atleta, estreante em Jogos Pan-Americanos, surpreende o público

Ubiratan Brasil, do Estadão,

22 de julho de 2007 | 22h26

Em sua primeira participação em um Pan-Americano, a brasileira Juliana Almeida surpreendeu neste domingo ao conquistar a medalha de bronze na patinação artística, no Complexo Esportivo Miécimo da Silva, em Campo Grande, no Rio. O ouro ficou com a argentina Leila Vanzulli e a prata, com a americana Abigail Burris.   Veja também:  O quadro de medalhas Os detalhes das modalidades em disputa   Na apresentação do domingo, de tempo longo (4 minutos de duração), Juliana conseguiu não cair em nenhum momento, terminando em terceiro lugar, com 5 pontos, atrás de Leila, a primeira colocada com 7 pontos, e de Abigail, com 6.   Apesar do resultado mediano conquistado no sábado, quando, durante as apresentações curtas (2 minutos e 15 segundos), ficou em quarto lugar, Juliana conseguiu reavaliar seus erros e, mesmo com pouco tempo, aperfeiçoar sua performance. "Não foi a primeira vez que isso aconteceu", explicou. "No Mundial, em que terminei em 12º lugar, fui mal no curto mas, graças ao que mostrei no longo, consegui subir dez posições."   Na patinação artística, a nota conquistada na apresentação curta corresponde a 25% da média final, daí a importância de um bom resultado na performance longa.   O apoio da torcida, que vibrou com todos seus duplos e triplos, teve um papel positivo. "Nunca tinha me apresentado com um público tão favorável, mas não me intimidei", contou. "Na verdade, fiquei mais incentivada."   Juliana começou a patinar aos 3 anos, depois de assistir à uma apresentação levada pela mãe. E, com apenas 10 já competia profissionalmente. "Como a maioria dos esportes, esse também exige que se comece cedo, pois o nível de competitividade é grande."   Sua classificação para o Pan-Americano surpreendeu. Juliana passou por uma temporada de dois meses nos Estados Unidos, onde conseguiu o índice. "Fui a grande surpresa", orgulha-se.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.