Juliana e Tammy terminam em quarto no trampolim de 3m

Dupla brasileira é superada no último salto por canadenses e perde chance de dar 8.º bronze do sábado ao País

28 de julho de 2007 | 15h43

A dupla formada por Juliana Velloso e Tammy Galera perdeu no último salto a chance de conquistar a oitava medalha de bronze para o Brasil neste sábado, nos jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, na disputa dos saltos ornamentais, no trampolim sincronizado de 3 metros. As brasileiras acabaram a disputa na quarta posição, com 273.30 pontos.   Veja também:  O quadro de medalhas Quem fica em segundo lugar no Pan?Os detalhes das modalidades em disputa   A medalha de ouro ficou com a dupla mexicana, Laura Sanchez e Paola Espinosa, que atingiu a pontuação de 307.80. A equipe norte-americana, formada por Ariel Rittenhouse e Kelci Bryant, somou 305.10 e ficou com a prata. A medalha de bronze foi para o Canadá, de Meaghan Benfeito e Kelly MacDonald, que atingiu 276.60 pontos.   Cuba leva ouro na plataforma 10m masculina   Na plataforma de 10 metros individual masculina, o brasileiro Hugo Parisi ficou com o quinto lugar, com 456.60. Seu compatriota, Cassius Duran, temrinou em sétimo, com 423.40. O vencedor foi o cubano Jose Antonio Gerra, com 527.40. A medalha de prata foi conquistada pelo mexicano Rommel Pacheco Marrugo e o canadense Alexandre Despatie ficou com o bronze.   Esperança de medalhas no futuro   Mas se o Brasil não ganhou medalhas no último dia de disputas dos saltos, os torcedores que compareceram ao Parque Aquático Maria Lenk foram testemunhas do nascimento de uma promessa: Tammy Galera. "Perdemos por pouco e isso será um solavanco, um impulso para a minha carreira. Vou treinar igual a uma louca para melhorar", afirmou Tammy. "Foi uma experiência incrível que levarei para o resto da minha vida."   O grau baixo de dificuldade na série de saltos apresentados foi o responsável pela ausência da dupla brasileira no pódio. Parceira de Tammy, Juliana destacou que o momento era o de preservar a novata, "não era hora de queimar etapas". Principalmente, porque em setembro a jovem estará nos Pan-Americano Júnior, em Porto Rico.   "Nos divertimos muito e a Tammy está pronta para apresentar dois saltos de maior dificuldade. O que falta é ela trabalhar a cabeça para não se apavorar", completou Juliana.   (Com Michel Castellar) Atualizada às 18h45  

Tudo o que sabemos sobre:
SALTOS ORNAMENTAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.