Juliana Veloso leva bronze na plataforma dos saltos ornamentais

Juliana Veloso não conseguiurepetir o resultado de quatro anos atrás e terminou com obronze na disputa da plataforma de 10 metros dos saltosornamentais dos Jogos Pan-Americanos. A saltadora, responsável em Santo Domingo-2003 pelaprimeira medalha da modalidade na história dos Pans quandoconquistou a prata, terminou atrás da mexicana Paola Espinosa,medalhista de ouro, e da norte-americana Haley Ishimatsu. "Eu saltei muito bem de manhã (no treino) e manter assim édifícil. Senti que tive alguns probleminhas, detalhes técnicos,mas mesmo assim a medalha não saiu da minha mão. E não saí domeu objetivo de pontuação", disse ela. As três primeiras colocadas e a canadense campeã mundialEmilie Heymans tiveram uma dura disputa na final. Julianamanteve-se em primeiro lugar após os dois primeiros dos cincosaltos, mas não conseguiu manter a performance. Já Heymanserrou dois saltos e terminou em quarto lugar. "Fui com muita energia na saída e não acreditava que estavatão alta, então não consegui controlar", explicou ela,admitindo que ficou apenas ansiosa depois de o presidente daConfederação Brasileira de Desportos Aquáticos, Coaracy Nunes,ter dito que ela estava "descontrolada". "Em momento nenhum eu estava descontrolada. Só fiqueinervosa na segunda-feira, porque treinei muito bem e queriafazer isso de novo", disse ela. Juliana disputa ainda no Pan o trampolim de 3 metrosindividual e sincronizado, mas não acredita que conseguirá umbom resultado, apesar de ter levado o bronze na provaindividual em 2003. "Não me sinto à vontade no trampolim e não estou tãoconfiante. Mas estou bem treinada e não acredito emimpossível." Já Cassius Duran e Cesar Castro ficaram em último lugar notrampolim de 3 metros sincronizado. "Faltou sincronismo,treinar junto. Só treinamos por 10 dias aqui", disse Cassius,explicando que é muito complicado reunir os dois já que eletreina no Rio de Janeiro e Castro em Brasília. "Seria ideal, mas cada um tem suas particularidades. Setivéssemos que treinar juntos e ainda ir nas competições,acabaria com a vida pessoal." Mas apesar do mau resultado eles enxergaram algo de bompara a prova individual, em que os dois competirão. "Saltamos muito bem individualmente e se fizermos o quefizemos hoje pode acontecer de os dois subirem ao pódio. Osnorte-americanos erraram no individual e se fizerem isso nãoganham", afirmou Cassius. O ouro na prova masculina ficou com os norte-americanosMitchell Richeson e Troy Dumas, enquanto que os cubanos ErickFornaris e Jorge Betancourt levaram a prata. Os canadensesAlexandre Despatie e Arturo Fumado terminaram em terceiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.