Júlio César, esperança brasileira no dardo

Em uma prova como o lançamento do dardo, que nunca teve tradição no País, Júlio César Miranda de Oliveira, de 18 anos, provoca esperança. No ano passado, o atleta ganhou a medalha de ouro no Mundial de Menores (até 17 anos), em Sherbrooke (CAN), com 81,16 m. E em sua primeira temporada como juvenil, ele acaba de quebrar o recorde brasileiro, com 73,19 m, no GP de Porto Alegre, no último fim de semana, o que o anima para o desafio maior da temporada, o Mundial Juvenil de Grosseto, Itália, de 9 a 12 de julho. O dardo usado pelos juvenis (o mesmo da categoria adulta) pesa 800 gramas, 100 a mais que o das competições de menores."O peso muda tudo em uma prova como o dardo", explica o técnico João Paulo Alves da Cunha, com quem Júlio César treina há três anos, pela equipe BM&F Atletismo, em São Caetano do Sul. "O recorde brasileiro juvenil era a marca esperada nessa etapa do treinamento. O prognóstico para o Mundial é algo entre 75 e 77 metros. Há dois anos, na Jamaica, a vitória foi de um finlandês (Teemu Wirkkala), com um pouco mais de 76 m."O dardo é um implemento que já sofreu mudanças ao longo da história. O centro de gravidade foi alterado em 1986 por uma questão de segurança - arremessos a quase 105 metros ameaçavam o público nas arquibancadas. Em 1991, o implemento sofreu um aperfeiçoamento. Hoje, o recorde mundial adulto é de 98,48 m, do checo Ján Zelesny; no juvenil, de 83,87 m, pertence ao norueguês Andreas Thorkilden."Para atingir o nível internacional, o Júlio tem de arremessar 83 metros. Sei que pode lançar acima de 80 metros, se continuar treinando motivado", disse o técnico do brasileiro.Júlio César permaneceu em Porto Alegre, onde bateu o recorde brasileiro juvenil, para o Campeonato Sub-23, na pista da Sogipa, no fim de semana.Começou no atletismo aos 11 anos, por causa dos amigos da vizinhança, em Paranavaí (PR), onde nasceu. "Ficava em casa, resolvi acompanhar os meus amigos em um treino e gostei", contou. Além do dardo, disputa o arremesso do peso.Júlio César poderá competir na Olimpíada de Pequim, em 2008, mas João Paulo acha que ele tem de disputar todas as categorias. "Ainda terá mais um ano como juvenil, além desse." O melhor lançador do Brasil é Luiz Fernando da Silva, de 33 anos, recordista nacional (79,50 m). Júlio César é o segundo. "Fomos bem no Mundial de Menores e agora temos pela frente o Mundial Juvenil. Acho que, se mantiver a atual evolução, o garoto vai longe", revelou o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.