Divulgação
Divulgação

Junior Cigano é o novo reforço do time de MMA do Corinthians

Lutador do UFC é o segundo campeão mundial a integrar a academia do clube, que leva o nome de Anderson Silva

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

14 de agosto de 2012 | 17h44

SÃO PAULO - O Corinthians anunciou nesta terça-feira o lutador do UFC Junior Cigano como reforço para a academia de MMA do clube. O atual campeão mundial dos pesos pesados tem 27 anos e agora passa a integrar o mesmo time liderado por Anderson Silva, campeão dos pesos médios que dá nome ao centro de treinamento de lutas.

Pelo acordo firmado, Cigano assina contrato de um ano com o Corinthians e assim passa a utilizar a marca do time no uniforme, além de utilizar a estrutura da academia para treinos.

“A contratação de mais um campeão do UFC, e corintiano de coração, traz ainda mais força para nos tornarmos referência do MMA no mundo”, afirmou o gerente de marketing do Corinthians, Caio Campos.

Na chegada, o lutador se mostrou naturalmente empolgado. "Já sou mais um do bando [de loucos] faz tempo", brincou. "A motivação para vir é o apoio de clube tão grande como Corinthians dispondo a apoiar mais um atleta do MMA e alavancando a modalidade."

Cigano declarou ser corintiano desde criancinha. "Meu time de coração é o Corinthians, sempre foi e família inteira também. Meu pai, que já faleceu, era fanático", disse Cigano, que não pretende se arriscar nos gramados.

"Não sou bom de bola não, joguei quando criança, mas era perna de pau, gostava de bater falta. Na escola era zagueiro e gostava de dar canelada nos outros", disse. "Não sou zagueiro não, sou lutador", brincou, antes de vestir a camisa com seu nome e o número 1 nas costas.

Cigano conta que Anderson Silva, o outro lutador da equipe corintiana, teve pouca influência na sua decisão de competir pelo clube. "Não falei com ele, fui direto, mas sei da tradição do clube de apoiador e oferecer boa estrutura."

Atualizado às 18:38

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.