Jurados impedem sonho de Holyfield

Americano tentava 5.º título mundial, mas cinturão fica com gigante Valuev

Wilson Baldini Jr., O Estadao de S.Paulo

20 de dezembro de 2008 | 00h00

Os jurados impediram que o americano Evander Holyfield realizasse ontem seu sonho de sagrar-se campeão mundial dos pesos pesados pela 5ª vez (já havia vencido em 1990, 93, 96 e 2001), aos 46 anos, diante do gigante russo Nikolai Valuev, de 2,13 metros, 140 quilos e 35 anos. A luta em Zurique, na Suíca, valia o cinturão da Associação Mundial de Boxe. Ao final do combate, visivelmente decepcionado com a decisão dos jurados, Holyfield não sabia dizer se vai abandonar o boxe ou se vai continuar tentando ganhar a vida nos ringues. O pugilista vive problemas financeiros, inclusive quase sendo preso por atrasar pagamento de pensão alimentícia a um de seus nove filhos, fruto de um de seus seis casamentos. Pelo duelo de ontem, Holyfield recebeu US$ 750 mil (R$ 1,7 milhão). "Agora vou para casa pensar", limitou-se a dizer após a luta.E a decepção também ficou evidente nas 12.500 pessoas que acompanharam o duelo de perto. O nome de Holyfield foi gritado o tempo todo e, ao ser anunciado o resultado, as vaias foram inevitáveis. Triste final para um megaevento promovido pelos suíços, com direito a hinos tocados em violinos e banda de rock para Valuev.Durante o combate, o que se viu foi um Holyfield muito bem preparado fisicamente, que dominou os primeiros roundes e conseguiu encaixar vários golpes. Nenhum, porém, com a força suficiente para derrubar Valuev ou ao menos assustá-lo. No 6º assalto, pela primeira vez Holyfield deu sinais de cansaço e os jabs de Valuev começaram a encaixar. No 7º houve uma violenta troca de golpes, com vantagem para o americano. No 8º, o russo deu o troco, levando a melhor. No 9º, nova troca de golpes e Holyfield voltou a mostrar que estava bem. No 10º, o russo recebeu um forte golpe e sentiu. No 11º, Holyfield ficou mais parado e sofreu com a pressão do russo, mas sem ser atingido. No 12º e último assalto, o americano parecia estar apenas administrando uma luta que considerava vencida, enquanto o russo também não demonstrava pretensão de atacar. Ao final, uma estranha comemoração de Valuev e silêncio de Holyfield. O anúncio da decisão dos jurados deixou claro o equilíbrio, embora nenhum deles apontasse a vitória de Holyfield. Os placares foram de 114 a 114, 116 a 112 e 115 a 114, sempre com vantagem para Valuev. "Não fiquei decepcionado com o que fiz, mas com os jurados,que não entenderam", comentou o americano. "Enfrentar o Valuev é diferente, ele é grande, é difícil acertar os golpes, mas acho que bati mais nele do que ele em mim. Fiz o meu melhor"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.