Justiça decidirá equipe do tiro no Pan

O tiro esportivo relacionou 25 atletas para os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo ? a modalidade será disputada entre 2 e 9 de agosto. São 17 homens e 8 mulheres, em 11 categorias. Lamberto Ramenzoni, pentacampeão brasileiro de fossa olímpica, não foi incluído na lista divulgada nesta quarta-feira. Por ofender o presidente da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE), Durval Guimarães, durante seletiva realizada em Brasília, em fevereiro, Ramenzoni foi julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da CBTE em 20 de maio e suspenso por 90 dias. Apelou e, em 27 de junho, teve a pena reduzida para 40 dias. Carlos Occhipinti, vice-presidente executivo da CBTE, diz que a entidade aguarda informações do STJD sobre a data do início da suspensão do atleta: a do primeiro ou a do segundo julgamento. O prazo para inscrição dado às confederações pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) terminou, mas Occhipinti observa que Ramenzoni é um caso especial. O atirador promete ir à Justiça comum, alegando que o Tribunal não tem isenção nem aceitou o depoimento das nove testemunhas apresentadas. ?A decisão não foi surpresa quando tive a confirmação de que o presidente do Tribunal, César Palhares, viajou para a Croácia em junho com despesas pagas pela CBTE?, disse Ramenzoni. Foi o tiro que deu ao Brasil a primeira medalha olímpica de ouro, com Guilherme Paraense, nos Jogos de Antuérpia, em 1920. Na equipe brasileira inscrita para o Pan, os destaques são os paulistas José Pedro Costa (skeet) e Luiz Carlos da Graça (fossa dublê), o paranaense Rodrigo Bastos (fossa olímpica) e a gaúcha Janice Teixeira (fossa olímpica).

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 18h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.