Justiça devolve meia Oscar ao São Paulo

TRT paulista determina que jogador, agora no Inter, volte ao clube, mas cabe recurso; hoje, time enfrenta o Comercial

BRUNO DEIRO, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2012 | 03h07

O São Paulo obteve ontem importante vitória no caso Oscar, após mais de dois anos de batalha judicial. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo aceitou recurso do clube e declarou válido o acordo firmado quando o meia tinha 16 anos. Representantes do garoto, que está no Internacional, não cogitam sua volta ao Morumbi, mas admitem que o Tricolor possa ser ressarcido. Hoje, às 21h50, o São Paulo recebe o Comercial.

Após a decisão favorável na Justiça, os dirigentes do São Paulo cobraram publicamente o retorno imediato de Oscar. "O jogador deverá se apresentar imediatamente no clube e o seu contrato prorrogado pelo prazo em que o Oscar se ausentou, reestabelecendo assim todos os direitos do São Paulo sobre o atleta", afirmou o diretor de futebol Adalberto Baptista ao site oficial do clube. "O tempo é o senhor da razão", comemorou o presidente Juvenal Juvêncio.

O advogado do meia, André Ribeiro, porém, negou a possibilidade de Oscar ser obrigado a voltar ao São Paulo. "Ele tem contrato com o Inter e dizer que esta decisão implica nisso é muito contestável", disse Ribeiro, que promete ingressar com recurso. "Em último caso, a consequência seria o direito a ressarcimento financeiro ao São Paulo."

O valor da compensação ainda depende do desenrolar do caso, mas pode chegar a R$ 10 milhões - multa rescisória prevista no contrato firmado em 2007. O vice de futebol do Tricolor, João Paulo de Jesus Lopes, diz que o clube vai exigir um alto valor de ressarcimento. "O departamento jurídico do clube vai tomar as medidas necessárias para cumprimento da decisão, buscando na Justiça a reparação das demais perdas e prejuízos decorrentes da irregular transferência do jogador, ora anulada." Oficialmente, o Inter diz que não vai se manifestar sobre o caso, pois envolve apenas o São Paulo e o jogador.

Segundo André Ribeiro, porém, a novela ainda deve ter mais capítulos. "Vamos esperar a publicação no Diário Oficial para entrar com recurso. Ainda há um longo e complexo trâmite a ser percorrido."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.