Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Juve empata no final e briga pelo título está aberta

Gol salvador de Matri no San Siro mantém equipe de Turim a apenas um ponto de distância do Milan (51 a 50)

O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2012 | 03h04

O atacante Alessandro Matri saiu do banco aos 25 minutos do segundo tempo, ontem, não só para garantir a invencibilidade da Juventus na temporada, mas, principalmente, para manter aberta a briga pelo título italiano. Com o empate por 1 a 1 com o Milan, no San Siro, a distância entre as duas equipes continua em apenas um ponto (51 a 50). A Juve, porém, tem um jogo menos, contra o Bologna, adiado por causa da neve.

Até Matri substituir Quagliarella, o time de Turim perdia por 1 a 0 e via o rival abrir quatro pontos de vantagem. Ele, no entanto, mudou a história da partida e, possivelmente, do campeonato. Logo aos 34, o atacante balançou a rede após passe de Vucinic, mas o bandeirinha marcou impedimento inexistente.

Com boa presença de área e muita movimentação, Matri não dava sossego para a defesa do Milan e, aos 38, foi premiado com um gol. Pepe cruzou pela direita para ele bater de primeira, sem chances para Abbiati.

Graças ao gol, a Juventus fica em posição bastante confortável porque poderá ter o campeonato com o mesmo número de pontos do Milan já que o primeiro critério de desempate é o confronto direito e no primeiro turno a Velha Senhora venceu por 2 a 0 em Turim.

Os donos da casa dominaram o primeiro tempo e pareciam não sentir a ausência de sua principal estrela, o atacante Ibrahimovic, suspenso. Com boas investidas de Robinho, o Milan sufocava a Juve e tomaram conta do jogo. E o gol não demorou para sair.

Aos 14 minutos, o passe de Bonucci foi interceptado por Robinho e a bola caiu nos pés de Nocerino. O volante chutou de longe e ainda contou com desvio do próprio Bonucci para enganar Buffon e abrir o placar.

O Milan era dono da partida e só não ampliou a vantagem por causa de um erro grotesco da arbitragem. Aos 24, Buffon tirou bola cabeceada por Muntari de dentro do gol. Os jogadores nem tiveram tempo para reclamar porque o goleiro armou o contra-ataque rápido e, por pouco, a Juve não empatou.

O segundo tempo foi totalmente oposto ao primeiro. O Milan se encolheu, o técnico Massimiliano Allegri sacou Alexandre Pato para a entrada de El Shaarawy e trocou Emanuelson por Ambrosini. Sem força ofensiva e criatividade no meio de campo, a equipe foi encurralada pela Juve e não resistiu à pressão. Melhor para a Juve, melhor para o campeonato que continua aberto.

Em Nápoles. Há muito tempo o Napoli não entra para a disputa de um clássico no Campeonato Italiano com tanto favoritismo. Em grande fase também na Copa dos Campeões, a equipe do argentino Lavezzi e do uruguaio Cavani tem na teoria grande vantagem sobre a Inter, hoje, no Estádio San Paolo.

O Napoli vem de uma tranquila vitória sobre a Fiorentina na última rodada do Italiano, por 3 a 0, e importante triunfo sobre o Chelsea, por 3 a 1, no jogo de ida das oitavas de final da Copa dos Campeões. Já Inter vive momento oposto e acumula sete jogos sem vitória, com seis derrotas e um empate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.