Juventus entra em campo. E a torcida bajula Vampeta

O veterano volante vê a estréia de seu time no meio do povo e, mesmo na arquibancada, chama mais a atenção do que os companheiros, no empate de 1 a 1 com o Noroeste

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

17 de janeiro de 2008 | 00h00

A abertura oficial da Série A1 de 2008 pode ter sido, para a Federação Paulista de Futebol, o clássico Lusa x Santos, ontem à noite no Morumbi. Inquestionável, porém, é que Juventus e Noroeste inauguraram a edição do Estadual às 16 horas, no Estádio Conde Rodolfo Crespi. E o empate por 1 a 1, que rendeu os primeiros pontos da tabela deste ano para ambos os times, foi um mero detalhe.A Javari encheu-se de elementos típicos das grandes festas. Teve trânsito intenso antes da partida, com filas nas bilheterias, filas na entrada, estacionamentos sem vagas e, claro, flanelinhas oferecendo uma ajudinha camarada para quem estacionou o carro na rua. Oficialmente, foram 1965 pagantes, R$ 25 mil a renda.Se fora do estádio a movimentação foi uma surpresa - até para dirigentes do clube -, dentro o volante Vampeta também surpreendeu. Principal contratação juventina, o veterano falastrão não posou de estrela. Sentou na arquibancada, no meio da galera. Nem é preciso dizer que virou o centro das atenções para senhoras, senhores, rapazes, moças, crianças. Um público eclético, que respeita o hino nacional e assiste ao jogo rodeado de amigos da Mooca.No primeiro tempo, Vampeta sofreu mais com o sol inclemente do que com o assédio dos fãs. Mas pôde constatar que a vida do Juventus não será fácil. Logo aos 2 minutos, Otacílio Neto abriu o placar para o Noroeste. Empurrado pela torcida, o time de casa empatou cinco minutos depois, com outro veterano, Dedimar - muita gente, quando entrou no estádio, já viu o placar final. Teve torcedor passando pelas catracas até os 25 minutos do primeiro tempo.Mas no intervalo, quem se importava com o resultado? Vampeta rivalizou com seu Antônio, o tradicional vendedor dos tradicionais canolis. Não deu para saber quem ganhou em popularidade. "Vampeta, não vai fazer que nem o Viola, hein?", questionou um torcedor, lembrando de outro veterano com passagem relâmpago em 2006. Vampeta promete não decepcionar, nos três meses em que ficará no clube e já pensa na 3.ª rodada, quando terá o Santos pela frente. "Do Santos eu não gosto de fazer piada. Só de ganhar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.