Kaká sugere a Dunga sua posição ideal

Em alta, meia diz que não quer atuar na seleção ''''de costas para o gol''''

O Estadao de S.Paulo

10 de outubro de 2007 | 00h00

Com a pose de quem acaba de ser eleito o melhor do mundo por outros jogadores, o meia-atacante Kaká, do Milan, deixou claro que pode atuar contra a Colômbia com certo desconforto. Isso se for escalado por Dunga numa posição que não lhe agrada. ''''Gosto de jogar como meia, atrás de dois atacantes. Tenho vivido a experiência de atuar como segundo atacante no Milan. Não gosto de jogar de costas para o gol, é uma situação incômoda'''', comentou. ''''Mas como segundo atacante tenho me adaptado às diversas situações. Estou me acostumando a fazer mais gols do que o normal. É bom, é gostoso, mas de costas para o gol é uma situação que eu não gostaria.''''Na entrevista coletiva, Dunga preferiu não falar do assunto, com uma resposta sem relação com a pergunta. O treinador teve problemas com os dois principais atletas da seleção, Kaká e Ronaldinho Gaúcho, antes, durante e após a Copa América, em julho. Os craques pediram dispensa, sob a alegação de excesso de desgaste físico. E, em represália, Dunga deixou os dois no banco de reservas logo no primeiro amistoso depois da competição, contra a Argélia.Se ainda não sabe qual vai ser sua função no jogo do Brasil com a Colômbia, domingo, em Bogotá, Kaká acha que deve ser eleito pela Fifa no fim do ano como melhor atleta de 2007. ''''É a maior conquista individual que um jogador pode alcançar e qualquer um gostaria de ser indicado. Se mereço ou não, as pessoas é que têm de avaliar.''''Ele citou o português Cristiano Ronaldo como outro forte candidato ao prêmio. ''''Por tudo o que ele fez para que o Manchester United fosse campeão na Inglaterra.'''' Sobre o início das Eliminatórias, citou o começo difícil na fase em que tentava se firmar na seleção. ''''Na Copa passada tive uma experiência diferente. Comecei no banco e só ao longo da competição fui conquistando meu espaço no time. Eliminatórias é uma competição diferente, vários problemas podem surgir ao longo da preparação e o time que chega ao Mundial nem sempre é o que começou o trabalho.''''Kaká espera dificuldades na estréia das Eliminatórias. No entanto, não deixa escapar o otimismo. ''''Começar ganhando cria uma expectativa melhor para o grupo, é importante buscar uma vitória, ainda mais fora de casa. Mas não vai ser fácil. Todo mundo quer ganhar do Brasil.''''Ele também falou da expectativa de jogar no Maracanã, onde nunca atuou. Para ele, a campanha decepcionante no último Mundial já está em fase de superação. ''''O Brasil já foi eliminado em outras Copas e conseguiu se reerguer, faz parte do passado'''', comentou o meia-atacante.Com uma inflamação no tornozelo direito, o atacante Robinho fez musculação, mas não participou de exercício físico em torno dos campos da Granja Comary.Os médicos da seleção não crêem que o problema impeça o atleta do Real Madrid de participar do treino em tempo integral previsto para hoje.HOMENAGEMA Calçada da Fama do Maracanã é democrática: abriga pés geniais, como os de Zico, Pelé, Romário e Franz Beckenbauer, e outros que não ficaram conhecidos pelo fino trato da bola, mas que também fizeram história no futebol brasileiro. Dunga se enquadra no último quesito.Capitão do tetracampeonato mundial, ele deixará sua marca no tradicional estádio carioca no dia 16 de outubro, véspera da partida com o Equador, pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010.''''Se pudesse escolher (onde colocar os pés), colocaria ao lado dos pés de Romário ou Bebeto ou Jorginho, por ter jogado com eles em 1994, nos Estados Unidos'''', declarou o técnico da seleção brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.