Kasparov difunde o xadrez em São Paulo

O Brasil recebe nesta semana um dos maiores esportistas da história. Pela segunda vez no País, Garry Kasparov chegou ontem a São Paulo e fica até domingo. Nestes seis dias, participa de um evento para promover o xadrez entre crianças, lança livro e prestigia um torneio entre grandes enxadristas do Brasil e do mundo.Em tempos de Jogos Olímpicos e de exaltação à origem grega das olimpíadas, a trajetória e as posições fortes do enxadrista russo - mais jovem campeão do mundo da história, detentor de todos os recordes do esporte e líder do ranking mundial há 20 anos - são um exemplo. "As Olimpíadas são interessantes, mas não me sinto confortável ao ver símbolos tão nobres usados para fins políticos e econômicos", diz Kasparov. "Além disso, não é só sobre quem vai ganhar, é sobre quem tem a melhor tecnologia para esconder o doping."Aos 41 anos, após romper com a federação que manda no xadrez e perder o título mundial, o russo espera chance, que pode vir em janeiro, para enfrentar o atual campeão, Ruslan Ponomariov. Enquanto aguarda, Kasparov diz que sua carreira na política dentro do xadrez terminou, foi substituída por outras duas missões.A primeira é contar, em seis ou sete volumes, a história dos grandes campeões do xadrez, mostrando as inovações de cada mestre, o ambiente em torno dos duelos e a contribuição de cada época ao jogo, e do jogo à sua época.Dois volumes foram lançados no exterior. O primeiro, traduzido para o português, chega às livrarias brasileiras na próxima semana: Meus Grandes Predecessores (editora Volos, R$ 107,00, 478 páginas).A outra grande tarefa assumida pelo russo é espalhar o xadrez pelo mundo, razão de sua visita a São Paulo. O campeão jogará os primeiros lances de uma partida simultânea com 440 crianças das escolas municipais. "Sou um entusiasta deste tipo de evento. O xadrez tem imenso valor cultural e educacional", afirma. "Um pouco de xadrez na infância abre muitas possibilidades, além de ser uma ferramenta muito barata."A visita de Kasparov faz parte do Desafio SP 450 Anos de Xadrez. A programação inclui torneio entre Anatoly Karpov, Vishwanathan Anand, n.º 2 do ranking mundial, o chileno Ivan Morovic e os brasileiros Giovanni Vescovi, Rafael Leitão e Gilberto Milos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.