Kassab promete ajuda ao Palmeiras

Em visita às obras da futura Arena Palestra, prefeito garante que fará de tudo para acelerar o prazo final do estádio

DANIEL AKSTEIN BATISTA, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2011 | 03h05

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), visitou ontem o canteiro de obras da Arena Palestra e prometeu uma série de ajudas para que o estádio seja entregue antes do prazo final.

O Palmeiras vinha cobrando faz tempo uma ajuda da Prefeitura, ainda mais depois de o Corinthians e até o São Paulo terem conseguido benefícios na construção e reforma do Itaquerão e do Morumbi, respectivamente.

Kassab avisou que vai tentar mudar o alvará do Palmeiras, que hoje é de reforma, para que uma parte da arquibancada que está intacta possa ser colocada o chão. "Assim o Palmeiras vai economizar um dinheiro", contou.

De acordo com Rogério Dezembro, diretor de novos negócios da WTorre, com o alvará que tem em mãos a empresa não pode derrubar toda a estrutura do estádio. "E, como essa arquibancada é muito antiga, teríamos de reforçar tudo para passar o novo anel. Sem isso, a gente economiza dinheiro e também ganharia tempo, terminando tudo uns quatro meses antes."

O prefeito também tentará uma alteração na legislação que hoje permite que a Nova Arena tenha capacidade para 1600 vagas de estacionamento - a ideia é subir para 3 mil. "Precisamos aumentar o poder de área construtiva", explicou Dezembro, que espera uma resposta de Kassab até fevereiro.

Kassab garantiu que fará de tudo para que o Palmeiras seja beneficiado. "A cidade se caracteriza por fazer muitos eventos e a Prefeitura tem a obrigação de ajudar. É um investimento à cidade", afirmou. "É papel do poder público ajudar a sociedade."

Dizendo-se surpreso com a velocidade das obras - o cronograma prevê que a Arena esteja pronta no meio de 2013 - Kassab avisou que a ajuda ao Palmeiras não é uma forma de compensação pela Prefeitura também estar ajudando Corinthians e São Paulo.

O prefeito, no entanto, diz que a isenção fiscal fica restrita à construção do Itaquerão. "Cada projeto tem as suas peculiaridades. No Corinthians, o incentivo é vinculado aos desenvolvimento da região, que está precisando", contou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.