Rob Schumacher/ USA Today Sports
Rob Schumacher/ USA Today Sports

Keila fica com prata no Pan, mas vento tira brasileira do Mundial

Brasileira tem até maio para conseguir vaga para 2016

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2015 | 21h14

O vento é o grande personagem do primeiro dia das provas de atletismo dos Jogos Pan-Americanos. Na noite desta terça-feira, impediu Keila Costa de se classificar para os Jogos Olímpicos no salto triplo. A brasileira fez sua melhor marca em dois anos para ganhar a prata em Toronto, mas o vento acima do permitido para homologação a deixa sem índice para os Jogos Olímpicos. 

Ela ainda tem até maio do ano que vem para se qualificar para a Olimpíada, mas o Pan era a última chance de obtenção de índice para o Mundial de Pequim, no mês que vem. Por isso, vai à China só para competir no salto em distância, ficando fora do Mundial no triplo.

Tanto para o Mundial quanto para a Olimpíada, o índice é 14,20m, marca que Keila superou duas vezes durante a prova no Estádio da Universidade de York. Fez 14,21m no seu quarto salto e, depois, melhorou para 14,50m na sua quinta tentativa. A federação internacional (IAAF), entretanto, só homologa saltos feitos com vento abaixo de 2,0 m/s. Durante toda a prova em Toronto, entretanto, ele estava acima disso.

Quem também acabou prejudicada pelo vento foi a colombiana Caterine Ibargüen, atual campeã mundial. Conforme esperado, ela venceu com folga, saltando quatro vezes acima do melhor resultado de Keila. A colombiana fechou a prova com o que poderia ser o melhor salto do ano: 15,08m, recorde da competição, mas que também não foi homologado porque o vento era de 2,3 m/s naquele momento. 

Além de Ibargüen e Keila, o pódio também teve a colombiana Yosiry Urrutia, que saltou 14,38m para ficar com o bronze. As marcas das três não valem para o ranking mundial, mas seriam equivalentes ao primeiro, sétimo e oitavo lugares desta lista. Núbia Soares, essa sim já classificada para Pequim no triplo, foi só a 11.ª colocada, com 13,57, eliminada após três saltos. A menina de 19 anos volta de lesão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.